Saúde

Vacina Contra HPV para Meninos

Deve-se dar vacina de HPV em meninos? A indicação científica para isso é pobre, mas o marketing é forte! As recomendações dos Centros de Prevenção e Controle de Doença Americana são do uso de vacinação contra o papiloma vírus humano (HPV) para ser dado a meninos entre 11 e 21 anos, cujo objetivo é reduzir HPV em homens e reduzir a transmissão para mulheres e meninas, prevenindo o câncer cervical.

Já nos casos de homens com histórico de práticas homossexuais, a indicação é para aumentar a proteção contra verrugas nos genitais, câncer de pênis e reto.

Só tem um problema:

  • De acordo com estudo matemático publicado no PLOS Medicine, aonde se avaliou a transmissão do HPV, a vacinação não foi efetiva, como você pode ver pela conclusão dos autores.

“Aumentar a vacinação entre as meninas pré-adolescentes é mais eficaz na redução da infecção pelo HPV do que incluir os meninos em programas de vacinação pré-existentes. Como regra, dirigir a imunização profilática no sexo com a maior prevalência resulta na maior redução na população.”

  • Não há evidências que vacinação reduza a incidência de câncer cervical, segundo artigo da Discover:

“Merck diz que nos meninos, a vacina é 89% eficaz contra as verrugas genitais e 75% eficaz contra o câncer anal. No exame mais detalhado, alguns dos números não apenas desinflam, evaporam…”

O custo e a alta exposição de pessoas à vacina, vale a pena ?

O laboratório que produz a vacina alega ter cerca de 75% de efetividade contra o câncer anal em homens, com um custo de milhões, para supostamente imunizar milhões de pessoas, quando expõe um numero enorme de pessoas a riscos, sendo que a redução de incidência de morte por câncer anal é insignificante, pois representa menos de 1% de todos os cânceres. Portanto, a vacina não ajuda um problema de saúde tão significativo.

  • Muitos efeitos colaterais – pesando-se os benefícios em comparação com os riscos agudos:
  • Síndrome de taquicardia postural ortostática;
  • Falha respiratória aguda;
  • Parada cardíaca;
  • Formação de coágulos sanguíneos, com alto risco;
  • Morte súbita sem causa aparente;
  • Paralisia de Bell;
  • Síndrome de Guilain-Barré;
  • Entre gestantes, maior risco de aborto espontâneo e anormalidades fetais.
  • A vacinação é especifica sobre as cepas 16 e 18, ficando as outras presentes, podendo induzir o câncer cervical ou os outros canceres correlacionados. Não se pode ignorar que, inibindo se cepas de HPV, como ficam as outras cepas? Cerca de 60% das mulheres que receberam a vacina contra HPV têm alto risco de ser infectadas por outra cepa de papiloma vírus humano (HPV).

Que medidas tomar?

  • Conversar com os filhos sobre HPV, pois a forma mais importante de transmissão é sexual. O uso de preservativo pode reduzir cerca de 70%. Evitar múltiplos parceiros.
  • Melhorar o sistema imunológico, com isso reagindo melhor ao estresse físico e emocional.

Não seja enganado em dar esta vacina perigosa para os seus filhos, independente do seu sexo. Fique atento!

Referências bibliográficas:

  • Medicina Net.  May 18, 2007
  • N Engl J Med.  May 10, 2007; 356:1915-1927
  • Discover Magazine November 14, 2011
  • PLoS Medicine December 20, 2011; 8(12): e1001147
Previous ArticleNext Article
Médico, Cirurgião Vascular especializado em medicina preventiva e alta performance. Possui vários artigos publicados em revistas médicas, além de 8 livros com temas relacionados à nutrição, medicina preventiva e esportiva. (CRM 47078)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER