Saúde

7 super utilidades do mel para a sua saúde

O mel é o resultado de um trabalho impressionante, exemplo de eficiência e de coletividade. Para você ter uma ideia, são necessárias cerca de 60 mil abelhas, que viajam por uma área de quase 100 km visitando aproximadamente 2 milhões de flores… Tudo isso para produzir 500g de mel!

Ele é uma associação de açúcar, elementos traços, minerais, vitaminas, aminoácidos e enzimas. Era usado muito frequentemente antes do açúcar se tornar de fácil acesso, no século 16. Quais seriam suas outras utilidades, além, é claro, de servir para adoçar?

1 – No tratamento de feridas

O mel foi usado no começo do século passado no tratamento de feridas, e caiu em desuso com o advento da Penicilina. Porém, atualmente vem ganhando popularidade para essa função, no objetivo de combater infecções sérias de pele.

Ele é ideal para tratar feridas, pois age como antioxidante, antifúngico e antibacteriano. Libera peróxido de hidrogênio através de um processo enzimático, o que explica suas qualidades antissépticas, mas vale lembrar: o mel não deve ser processado.

Segundo estudo, quase 100% dos indivíduos que tratavam úlceras tiveram remissão da ferida usando-o de forma tópica.

2 – Herpes

A aplicação tópica do mel traz excelentes benefícios na remissão das lesões herpéticas:

  • reduz líquido da lesão, que é o componente que pode transmitir o vírus para outras áreas ou outras pessoas;
  • suprime o crescimento de microorganismos;
  • no contato do mel com a ferida, há naturalmente uma liberação de peróxido de hidrogênio pela presença da enzima glucose oxidase (o mesmo que acontece quando você usa a água oxigenada – clique aqui para ler um post exclusivo sobre isso).

Num estudo que comparou o uso de mel ao aciclovir (agente antiviral) no local da herpes, o mel apresentou melhores resultados. No caso do herpes labial, ele foi 43% melhor e no caso do herpes genital foi 59% mais eficiente.

As dores e coceira também foram mais inibidas com o mel e uma pequena porcentagem de pacientes teve remissão completa da lesão. Vale lembrar que tanto o mel quanto o aciclovir não curam a herpes, apenas tratam os sintomas.

3 – Tosse

Muitas culturas ao redor do mundo usam o mel para o alívio da tosse. Na verdade, a Organização Mundial de Saúde já sugeriu o seu uso para esse propósito, uma vez que ele não causa os efeitos colaterais que são associados a muitos dos remédios para tosse vendidos sem prescrição. (Para saber mais, clique aqui para ler o artigo “Mel é melhor que xarope para tosse” .

4 – Alergias

O mel é muito eficiente na eliminação de reações alérgicas, e os estudos mostram que se ele é colhido na região aonde se vive – o mais próximo possível – maior é a sua eficiência. Ele ativa o seu sistema imunológico e promove com o passar do tempo um ganho imunológico natural.

Use 1 colher por dia, cerca de 1 mês antes das épocas de mais reações alérgicas, como a época da liberação dos pólens e de inverno.

Segundo estudos, isso promove:

  • redução de 60% dos sintomas
  • redução de 70% de sintomas severos
  • redução de 50% do uso de anti-histaminico

5 – Mel e energia

O mel é excelente como gerador de energia rápida, sendo indicado para atletas, antes e depois dos treinos.

6 – Dermatite seborreica (caspas)

Diluir mel com água morna tem mostrado significante melhora nestes casos. Em um estudo, ele foi usado dessa forma por 4 semanas em dias alternados, com significante melhora.

7 – Produtos de higiene pessoal

Além das suas propriedades antimicrobianas, o mel é um produto umectante, ideal para o tratamento capilar. Pode fazer parte de shampoos, hidratantes e condicionadores, como na sugestão abaixo:

  • condicionador de cabelo: misture ½ copo de mel com ¼ de copo de óleo de oliva. Coloque uma pequena quantidade no couro cabeludo, até criar uma película no cabelo. Em seguida, cubra o couro cabeludo com uma touca de banho por 30 minutos. Após, use o seu shampoo e o condicionador.

Nem todo mel é criado igual

A atividade antibacteriana em alguns méis é cerca de 100 vezes mais potente do que outros. Os produtos processados e refinados pecam pela ausência das propriedades medicinais, pois neles são removidas as partículas microscópicas provenientes de dentro da flor, que fariam o néctar ser reprovado os padrões de qualidade definidos pela maioria das agências de segurança alimentar do mundo. Porém, sem estes, não há como determinar a origem do mel, se é de fonte legítima e segura.

Quando for escolher, procure um produto natural, cru, não filtrado, 100% puro e de fonte confiável.

Advertência

Atenção: evite mel de áreas próximas a monoculturas, como plantações de milho, soja, cana etc. Como esses cultivos têm alta concentração de pesticidas, as abelhas e consequentemente o mel podem ficar contaminados. Outro detalhe importante: apesar de ter diversos benefícios para a saúde, deve ser consumido com moderação, por conter grande quantidade de frutose.

 

Referências bibliográficas:

  • International Journal of Lower Extremity Wounds, 2006:5;40
  • Otolaryngology Head Neck Surgery, July 2009;141(1):114-8
  • Scientific American January 31, 2012
  • Medical Science Monitor 10(8):MT94-98; August 2004
  • Eur J Med Res. 2001 Jul 30;6(7):306-8.
  • Int Arch Allergy Immunol. 2011;155:160–166.
Previous ArticleNext Article
Médico, Cirurgião Vascular especializado em medicina preventiva e alta performance. Possui vários artigos publicados em revistas médicas, além de 8 livros com temas relacionados à nutrição, medicina preventiva e esportiva. (CRM 47078)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER