Saúde

Como Terapias com Células-tronco e PRP podem Regenerar as suas Células

Essas duas terapias podem parecer a grande novidade, mas na verdade já são usadas há mais de 100 anos. Cada vez mais ganha o interesse científico, trazendo novas descobertas que podem reparar e regenerar o seu corpo com mais praticidade do que se imaginava.

Por um lado, as terapias com células-tronco historicamente foram isoladas da medula óssea e usadas em transplantes de medula em pacientes com câncer desde a década de 1930.

No entanto, você pode obter células-tronco de praticamente qualquer tecido em seu corpo, pois cada tecido contém essas células. O grande problema do uso dessas células-tronco de medula óssea é que, além da necessidade de procedimento sofisticado, o que se observa atualmente é que a medula tem realmente quantidades muito baixas de células estaminais mesenquimais, que agora se acredita serem as mais importantes a nível terapêutico.

Essas células estaminais mesenquimais desencadeiam uma resposta imunomoduladora, enviando sinais para todo o corpo e estimulando células para a área que requer cura. A grande surpresa, cheia de benefícios e facilidades, é a descoberta recente de que o seu tecido adiposo é uma fonte mais abundante de células-tronco, e além de fácil acesso, ela contém até 500 vezes mais células estaminais mesenquimais, do que a sua medula óssea.

E tem mais: elas apresentam poucos glóbulos brancos, ao contrário da medula, que tem muitos desses glóbulos pró-inflamatórios.

Apesar dos glóbulos brancos serem parte da sua resposta imune, eles são ativados quando ocorre lesão ou a presença de um corpo estranho no seu organismo, e como não são seletivos, destroem coisas boas e coisas ruins, pelo seu efeito oxidativo.

Outro benefício importante é que à medida que envelhece, sua medula óssea declina com relação ao número de células, enquanto o tecido adiposo mantém um número bastante elevado de células estaminais, mesmo em indivíduos mais velhos.

Como manter a eficiência das células-tronco

É importante que se preserve um ambiente apropriado para essas células funcionarem. Para isso é preciso que você faça uma alimentação adequada, evitando ao máximo alimentos refinados, transgênicos, óleos vegetais hidrogenados e parcialmente hidrogenados, e reduzindo exposição e contaminação por toxinas que agridem o seu corpo, comprometendo esse terreno biológico.

Terapia com célula-tronco não é algo de uma aplicação

Precisa ficar claro que terapias com célula-tronco são procedimentos aonde você imita e potencializa as respostas terapêuticas de autorreparação. Ela não ocorre em uma única dose que te deixa curado para sempre.

É preciso repetir algumas doses para ter resultado.

Cito o exemplo dado pela pesquisadora Kristin Comella, engenheira química e biomédica:

“Quando você pensa sobre um lagarto que perde sua cauda, leva dois anos para crescer de volta. Por que colocamos expectativas irrealistas sobre as células-tronco que estamos tentando aplicar para reparar ou substituir tecido danificado? Este é um processo muito lento. Isso é algo que ocorrerá ao longo de meses e pode exigir uma dosagem repetida”.

O procedimento de retirar as células-tronco de gordura é simples, feito sob anestesia local, o que significa que o paciente permanece acordado. Normalmente se colhe até 15 centímetros cúbicos de gordura, que é uma quantidade muito pequena e garante um número muito elevado de células-tronco.

Indicações clínicas para a terapia com células-tronco

O objetivo é aproveitar as células que estão em algum local do seu corpo e deslocá-las para onde as queremos e precisamos que ajam. Pode ser usado em qualquer parte que esteja inflamada, onde o suprimento de sangue está comprometido, como por exemplo, joelho, ombro, osteoartrite, lesões agudas, dor nas costas associada à hérnia e doença degenerativa discal, tendões ou ligamentos danificados.

Os problemas sistêmicos também podem contar com esse suporte, em patologias como diabetes, doença cardíaca a até pulmonar. Tem ação imunossupressora, portanto pode ser útil nas doenças autoimunes.

Doenças neurológicas, lesões cerebrais traumáticas, esclerose lateral amiotrófica e Parkinson podem se beneficiar da terapêutica. Porém, não são só as células-tronco que resolvem sozinhas, é necessário combiná-las com outros fatores saudáveis de estilo de vida que otimizam a função mitocondrial, como comer uma alimentação saudável, fazer exercícios, dormir bem, evitar toxinas e fazer programas de desintoxicação para influências tóxicas.

Células-tronco para antienvelhecimento

As células-tronco também podem ser usadas como parte de um programa antienvelhecimento. Elas agem reduzindo as reações inflamatórias silenciosas que induzem um encurtamento dos telômeros, que aceleram o envelhecimento.

Plasma Rico em Plaquetas – Células-tronco para efeito estético

Outra forma terapêutica, o Plasma Rico em Plaquetas (PRP), tem importante função de comando, modulando e induzindo a movimentação das células-tronco para se multiplicarem e crescerem, ou para se diferenciarem e formarem novos tecidos.

Estas plaquetas apresentam muitos fatores de crescimento diferenciados que estimulam cicatrização e redução de inflamação. O PRP é realizado utilizando-se uma amostra de sangue e, em seguida, preparado em centrífuga específica que permita isolar as plaquetas sem comprometer suas estruturas. Na sequência, é injetado de forma subcutânea na área a ser tratada.

As plaquetas do PRP se juntam aos receptores de superfície das células-tronco, promovendo uma potencialização da resposta terapêutica que já está indo para a área a ser tratada. É como se o PRP fosse o fertilizante e a célula-tronco a semente. Com isso o resultado é o melhor possível!

É usado comumente em lesões articulares, mas pode ser útil também a nível preventivo e antienvelhecimento, como crescimento de cabelo, reparação de rugas finas e resgate de uma pele radiante.

Células-tronco causam câncer?

Há um questionamento sobre se as células podem causar crescimentos celulares induzindo formação de tumores, mas este é um problema associado a células-tronco embriogênicas que tendem a crescer rapidamente e pode formar um teratoma.

Porém, células-tronco de adultos, obtidas do seu próprio corpo, apresentam fatores inibidores de crescimento, e com isso não formam teratomas.

O que temos pela frente

Esse é o futuro da medicina: as pessoas começarão a receber doses regulares de suas próprias células-tronco. Com o tempo, este será mais um tratamento de rotina.

Referências bibliográficas:

  • Plastic & Reconstructive Surgery. November 2004; 114(6): 1502-1508
  • Science. May 9, 2014 ;344(6184):630-4.
  • Am J Surg. 1993;165:728–737
  • New Scientist. July 20, 2016
  • Dermatol Surg. 2012;38(4):623-30
Previous ArticleNext Article
Médico, Cirurgião Vascular especializado em medicina preventiva e alta performance. Possui vários artigos publicados em revistas médicas, além de 8 livros com temas relacionados à nutrição, medicina preventiva e esportiva. (CRM 47078)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER