A armadilha do efeito ioiô

Ao ignorarem as particularidades de cada pessoa, as fórmulas e dietas prontas para emagrecer acabam mirando em um alvo e acertando no seu oposto. Criadas com a intenção de servir para todo mundo, elas não atuam sobre situações específicas da bioquímica de cada um nem se voltam individualmente para a correção de hábitos alimentares. O resultado é que, apesar do efeito no curto prazo, acabam não sendo mantidas por longos períodos… E aí, os ponteiros da balança sobem novamente – quase sempre, em velocidade assustadora.É o famoso efeito ioiô, bem conhecido de quem costuma tentar toda nova dieta que surge. Além da frustração de recuperar os quilos perdidos, o movimento de engordar e emagrecer sobrecarrega a musculatura cardíaca e articulações, enfraquece as fibras de colágeno e aumenta a flacidez. É pior do que manter o peso estável, ainda que acima do ideal.

Novas armas contra o excesso de peso

A luta contra o excesso de peso já dispõe de técnicas para eliminar cerca de 10 quilos em trinta ou quarenta dias. São as injeções subcutâneas semanais de microdosagens de hCG (hormônio gonadotrófico coriônico humano) e injeções intradérmicas ou intravenosas de extrato placentário. Essas aplicações são indicadas para pessoas de qualquer idade, com exceção do hCG, que é desaconselhável para meninas.Existe ainda uma versão originária das células de ovário de mamíferos (hamster chinês), e outro produto, semelhante ao hCG, mas produzido em laboratório. Embora ainda não se saiba exatamente como funcionam, acredita-se que todos eles atuem reduzindo a fome, aumentando a massa muscular, mobilizando e redistribuindo a gordura corporal. Usados em pequenas doses e sob controle médico, esses produtos não apresentam riscos para a saúde nem causam os efeitos colaterais das altas doses empregadas nos tratamentos para infertilidade. Mas, claro, como em qualquer programa de emagrecimento, a dieta continua sendo fundamental para a obtenção de bons resultados e o desenvolvimento de novos hábitos alimentares que ajudem a manter o peso após o tratamento.

Bem-estar, menos peso com mais saúde e energia

O apelo de perder peso rapidamente pode ser uma armadilha perigosa quando o equilíbrio do organismo é ameaçado por mudanças radicais do metabolismo e de sua química natural.Polêmica, a dieta pró-gordura, que conquistou adeptos famosos no Brasil dos anos 80, saiu do baú e voltou à mídia. O motivo foi a divulgação de recentes estudos das universidades de Washington e do Colorado, EUA, atribuindo-lhe benefícios como maior emagrecimento, menor recuperação dos quilos perdidos, melhores taxas do chamado colesterol bom e diminuição dos níveis de triglicérides. Falta ainda pesquisar seus efeitos sobre os rins e o fígado.

Mulheres em boa forma

Pela primeira vez, uma pesquisa de peso mostra o quanto elas devem se exercitar para viver mais e melhor.Mais de 5.700 mulheres, com idade acima de 35 anos, submeteram-se a testes de estresse com exercícios. Nenhuma delas apresentava histórico de doenças cardíacas. O resultado dos testes, avaliado por especialistas que acompanharam essas mulheres por 8 anos, apontou interessantes conclusões.

Como emagrecer e manter-se magro

Se fosse fácil, as pessoas não viviam retornando a dietas. E cada vez que o fazem sentem maior dificuldade para emagrecer. Quando heroicamente alcançam o resultado desejado, começa outra batalha: manter o peso.Por que isso acontece e qual o caminho para uma dieta sem sofrimento, com a perspectiva de manter o peso depois, são questões que encontram uma resposta na medicina preventiva molecular.

Light nem sempre é melhor

O medo de engordar tem sido responsável por uma verdadeira invasão dos chamados alimentos light. Só que é ilusão pensar que eles sejam iguais aos seus similares orgânicos e naturais, ou que seu uso constante não desencadeie efeitos colaterais indesejáveis. Aqueles cuja redução calórica se dá pela substituição do açúcar por aspartame trazem sérias ameaças à visão e ao sistema nervoso central, além de estarem relacionados ao surgimento de câncer, principalmente de tireóide.Já os chamados low fat, com menores índices de gordura, são alvos de estudos que evidenciam aumento no nível de colesterol ruim, associado a seu consumo. Se a intenção é emagrecer, sem prejuízo para a saúde, a dica é seguir as recomendações do livro Fazendo as Pazes com Seu Peso, de Wilson Rondó Jr., ed. Gaia.

Vinagre combate o diabetes e emagrece

Pessoas com diabetes tipo 2, outras com propensão ao diabetes e um grupo de saudáveis fizeram o teste. Cada grupo consumiu vinagre ou placebo antes de um café da manhã rico em carboidratos e verificou-se que ingerir 1 colher de chá de vinagre com altas concentrações de ácido acético, antes de se alimentar, reduz as taxas de insulina e glicose, que se elevam sempre após a alimentação.Outro estudo, com um grupo de pessoas tomando vinagre antes das duas principais refeições do dia e outro grupo tratado com placebo, apresentou um surpreendente efeito colateral: em um mês, os tomadores de vinagre perderam de 4 a 7 quilos, enquanto o peso dos outros não se alterou.

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER