Você queima mais calorias no verão ou no inverno?

Quando chega o verão e os dias estão mais quentes, muita gente logo se anima a praticar atividades físicas. É hora de suar a camisa para perder aquelas calorias, emagrecer e ter um corpo mais saudável e bonito. E aí você se pergunta: será que estou queimando todas as calorias que gostaria? Ou será que no inverno esse gasto seria mais eficiente?Isso é uma dúvida comum, e vou esclarecê-la. Quando se exercita no tempo frio, você queima menos calorias do que no tempo quente, porque quanto mais calor, mais esforço faz o seu coração para evitar o excesso de aquecimento.

Uma taça de vinho pode proporcionar maravilhas, inclusive para o seu coração

Troque a esteira por uma taça de shiraz?Não sei se você vai recordar, ou se você já frequenta a academia há muito tempo para notar as mudanças que estão acontecendo, mas antes de falarmos sobre os benefícios do vinho, eu te convido a fazer um exercício de memória.

Que tal dar uma trégua para o seu coração? Ele também merece descanso!

Vejamos: o que acontece com nossos músculos logo depois da prática de exercícios físicos? Eles ficam doloridos e cansados. Certo? Agora, sabendo que o nosso coração também é um músculo, será que ele também reage da mesma forma? Será que ele também se cansa?Bom, na verdade nós possuímos três tipos de musculaturas:

Fique alerta: A gota pode estar atacando o seu coração!

Um número cada vez maior de pessoas tem se queixado de uma dor debilitante que frequentemente começa no dedão do pé (halux), mas que também afeta os tornozelos de tal forma que elas acabam ficando de cama, afastadas de suas atividades por semanas. Essa dor advém de uma doença chamada gota.O que acontece é que a gota significa muito mais do que apenas uma dor no dedo, mas sim, uma dor potencialmente letal ao seu coração. Tome muito cuidado!

Excesso de ferro é o pior inimigo do coração

Presente em multivitamínicos, alimentos enriquecidos e na carne vermelha, o ferro é o único nutriente cujo excesso o organismo não elimina. As conseqüências desse acúmulo são bastante nocivas, pois o ferro oxida-se rapidamente, gerando radicais livres. O resultado é envelhecimento acelerado e prematuro. Aumenta também a ameaça de doenças cardíacas, câncer, diabetes e artrites. Após os 40 anos, surgem riscos de lesões hepáticas e de deficiência de testosterona. Às vezes, o problema tem origem hereditária – é a chamada hemocromatose. Doar sangue é uma boa prevenção. Casos graves, porém, exigem flebotomia (retirada de sangue) e o uso de alguns aminoácidos. O importante é diagnosticar cedo o problema.A ferritina presente no sangue é a primeira substância a ser investigada quando se suspeita de excesso de ferro no organismo. O exame é feito em jejum e o ideal é que os resultados fiquem próximos do límite mínimo. Como prevenção, basta realizá-lo anualmente. E quem tiver casos de hemocromatose na família não deve se descuidar. Conheça os principais sintomas e sinais dessa doença, que atinge principalmente descendentes de europeus do Mediterrâneo.

Colesterol, nem tão vilão assim

Condenado nas últimas décadas como inimigo público número um do coração, o colesterol vem sendo objeto de controvérsias entre os pesquisadores.A comunidade médica mundial está dividida e o pomo da discórdia é a redução dos valores de referência para os níveis de colesterol sangüíneo. Os que a defendem alegam haver relação direta entre colesterol e risco cardíaco. Pesos pesados da medicina, porém, vêem na medida apenas um eficiente lobby dos laboratórios para aumentar em alguns milhões o número de usuários de drogas redutoras de colesterol, como as estatinas. É o que pensam, por exemplo, o presidente do Instituto Americano do Estresse, Paul Rosch, e o cientista Uffe Ravnskov, presidente da THINCS, organização de pesquisa sem fins lucrativos.

Com o coração na mão

Doenças cardiovasculares são as que mais matam nos países desenvolvidos. Mas há luz no fim do túnel.Atividade física, alimentação feita de acordo com suas necessidades genéticas e mudanças saudáveis no estilo de vida são fundamentais para a saúde cardiovascular. Mas há outros meios que contribuem significativamente na prevenção de problemas. Um aparelho tecnológico de primeiríssima linha é o mais novo recurso para avaliar riscos de doenças cardiovasculares. Por meio de exame não invasivo, o aparelho dá informações precisas sobre endurecimento de artérias e função vascular, determina o grau de aterosclerose e detecta oclusão arterial. O diagnóstico leva menos de 5 minutos.

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER