Prevenção

Superbactérias: a Ameaça mais Fatal à sua Vida

Hoje, estamos rapidamente a caminho de volta para este mundo – um mundo onde está tudo bem em um dia e no próximo você presencia a morte por infecções incuráveis de seus amigos, da sua família, dos seus vizinhos e mais. Tudo por causa das superbactérias.

Eu sei que isto soa como uma visão escura de um futuro distante e inimaginável, mas não é. Este é o mundo de um amanhã muito próximo – o mundo que está se desdobrando diante de nós agora mesmo na medida em que as bactérias comuns aprendem a resistir aos antibióticos e se tornam superbactérias intratáveis.

E alguns destes germes estão há apenas uma mutação ou duas de virar bichos do apocalipse, capazes de matarem centenas de milhares ou até milhões de pessoas.

Não podemos ignorar a ameaça por mais do que uma geração. Este problema está tão grande e tão real que precisamos acordar dessa hibernação.

Baseado nos números das avaliações, as principais três ameaças mortais neste momento são:

  • Clostridium Difficile (conhecida como c. diff, um germe fecal fatal)
  • CRE (um bicho comum nas UTIs)
  • Cepas resistentes a drogas da DST (doença sexualmente transmitida) gonorreia.

Porém, até então o que se faz é a assim chamada contenção, ou a ideia de que você pode prevenir a infecção prevenindo a exposição. Se ouve conselhos sobre reduzir os antibióticos, lavar as mãos, blá, blá, blá, blá, blá.

Agora, eu não disse que sejam MAUS conselhos. Claro, devemos reduzir as drogas. E você absolutamente deve lavar as suas mãos, especialmente no hospital (e certifique-se de que qualquer médico ou enfermeira que chegue perto de você tenha lavado as mãos antes de tocar em você).

Será que você já está exposto?

É isto mesmo, gente. Há uma boa chance que haja um assassino certificado – uma superbactéria resistente às drogas – morando no seu corpo agora mesmo, filando dos seus intestinos.

Você está alimentando-a… Mantendo-a aquecida… E dando-a tudo que ela precisa para sobreviver.

Considere aquela Clostridium Difficile: a fonte principal de exposição são os hospitais, mas um estudo novo, de Londres, descobriu que dois terços de todas as pessoas adoecidas por este bicho na verdade são infectadas em outros lugares.

Em outras palavras, enquanto as pessoas podem estar adoecidas no hospital, na verdade elas já podiam ter o bicho dentro delas muito antes de serem admitidas aos hospitais.

Então, a Clostridium Difficile e outros bichos estão por aí, todas à sua volta e talvez até DENTRO de você, neste momento – mas tente não se preocupar muito. Mesmo que você já tenha sido exposto, você não adoecerá – afinal, não por enquanto – porque você tem algo melhor que as drogas para te proteger

Como derrotar as superbactérias

Você tem um estômago cheio de BACTÉRIAS BOAS.

Você tem de 1,5 a 2,5kg destes germes BONS vivendo no seu intestino. Enquanto eles estiverem felizes, eles estão no controle – e eles tem o poder de manter os germes ruins, até as superbactérias como a Clostridium Difficile – completamente sob controle, e assim elas nunca terão a chance de causar danos a você.

É precisamente por causa disto que você pode pegar uma superbactéria no corrimão da escada rolante no shopping mais próximo, mas não adoecer disto.

Mas os bichos bons não MATAM os ruins, só os mantêm em cheque. Isto significa que os ruins ainda estão ali, esperando pela oportunidade, como um vilão de um filme de James Bond, fazendo seus complôs de um esconderijo secreto.

Contanto que você mantenha as bactérias boas contentes, tudo que as ruins podem fazer é manter perfil baixo e fazer complôs. Mas quando você toma um antibiótico, você destrói todos os bichos bons, e este é o momento em que os ruins têm a sua chance.

Já que estes últimos conseguem resistir às drogas, eles sobrevivem. E já que todos os bons já se foram, os ruins não só sobrevivem, como também PROLIFERAM !

Daqui a pouco, você estará lutando pela sua vida.

Como sobreviver ao ataque bacteriano iminente

Há três passos que você precisar tomar, começando hoje, para dar ao seu corpo o poder para derrotar as superbactérias.

Passo 1 – Este é o passo mais crítico porque é o passo que a maioria das pessoas pula. Se você estiver saudável e se sentindo ótimo… talvez até invencível… Por que mudar qualquer coisa?

Mas é exatamente o momento em que você não deve baixar a guarda.

As bactérias boas que o seu corpo necessita para combater a infecção estão sob ataque constante por tudo, desde os antibióticos “escondidos” nos seus alimentos e água até os alimentos processados sem valor nutricional, que podem destruí-las tão eficientemente quanto qualquer droga.

Então, deixe de lado os alimentos sem valor nutricional e se abasteça com fontes de probióticos de qualidade – especialmente o leite e queijo crus e frescos. E já que está com a mão na massa, tenha a certeza de incluir um suplemento probiótico à sua dieta.

Isto não é mais opcional; é questão de sobrevivência.

É claro, você pode ter o melhor equilíbrio gastrointestinal e um sistema imune forte e ainda assim adoecer. E quando isto ocorrer, você precisa ir para o próximo passo…

Passo 2 – Caso apresente uma infecção rotineiramente que normalmente é tratada com antibióticos, veja realmente se há necessidade disso.

Algumas delas, como as infecções respiratórias, são quase sempre virais e irão embora sozinhas. A bronquite, por exemplo, quase nunca é causada por bactéria – mas os médicos prescrevem antibióticos para ela 73% das vezes, de acordo com as pesquisas mais recentes.

O mesmo vale para as infecções comuns de ouvido, nariz e garganta. Os médicos prescrevem antibióticos para garganta em quase dois terços de todas as dores de garganta, apesar do fato que menos que 1 em 10 casos seja realmente causado por bactéria estreptocócica.

Mas se você ainda estiver doente após alguns dias até uma semana, ou se o médico confirmar que seja uma infecção bacteriana para valer que requer antibióticos, então talvez aí seja a hora de ingerir os medicamentos.

Passo 3 – Toda vez que você tomar um antibiótico, você tem de aumentar a sua ingestão de probióticos. O seu médico pode ajudá-lo a planejar isto, mas você provavelmente terá de dobrar o seu suplemento probiótico usual, ou talvez até mais.

Além disto, ponha alguns outros probióticos na sua mistura – especificamente os bichos benéficos, conhecidos por seu combate às bactérias resistentes às drogas, como a s. boulardii, que conhecidamente elimina a Clostridium Difficile.

Dê uma força ao seu organismo e comece agora a combater as superbactérias que entram no seu caminho!

Referências bibliográficas:

  • Clinical Infectious Diseases. May 2011;52(10):1227-30
  • JAMA Internal Medicine. Sep 16, 2013
  • The Douglas Report. Nov 2014
  • The Lancet Infectious Diseases. Oct 15, 2015
  • New England Journal of Medicine. 2014; 370:1198-208
  • Food Safety News. Feb 24, 2011
Previous ArticleNext Article
Médico, Cirurgião Vascular especializado em medicina preventiva e alta performance. Possui vários artigos publicados em revistas médicas, além de 8 livros com temas relacionados à nutrição, medicina preventiva e esportiva. (CRM 47078)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER