Alimentação

Própolis Vermelho: O Composto Raro Brasileiro que Derrota os Cânceres mais Devastadores

Cada vez mais as doenças fatais, como o câncer, estão ocorrendo e se tornando resistentes mesmo às drogas mais potentes e tóxicas. Com isso, os médicos e os pesquisadores estão cada vez mais procurando curas para cânceres “incuráveis”.  E eles encontraram as soluções que estavam atrás com algo único, em uma área muito pequena no canto nordestino do Brasil: eles descobriram o própolis vermelho.

Exclusividade brasileira: o própolis vermelho

A composição do própolis de abelha varia muito ao redor do mundo, e mesmo dentro dos países. As fontes vegetais do própolis e a geografia formam algo que faz toda a diferença.

No Nordeste brasileiro, há uma minúscula região onde as abelhas nativas criam o própolis mais raro no planeta: o própolis vermelho.

Há outros tipos de própolis da mesma área, mas não são tão especiais. Riquíssimo em antioxidantes e isoflavonas, o própolis do Brasil atrai o interesse de cientistas pelo mundo todo, especialmente o vermelho.

Existem outras variações de própolis que também tem grande utilidade.

Tipos de própolis no combate ao câncer

Há três variedades distintas de própolis feitas somente pelas abelhas no Brasil – o verde, o marrom e o muito raro, vermelho – tão único que tem sido o tópico de dúzias de estudos.

Esses própolis apresentam centenas de compostos terapêuticos e alguns foram claramente identificados como armas poderosas na guerra contra o câncer:

Própolis verde

O própolis brasileiro verde contém um inibidor cancerígeno potente chamado artepillin-C (ARC), que inibe uma enzima especialmente violenta que promove o câncer, PAK1, comprovadamente derrotando o câncer pulmonar, câncer de próstata, câncer de cólon e até tumores neurofibromatoses. Contém vesitrol e formononetina, compostos únicos no combate ao câncer.

Própolis marrom

O própolis brasileiro marrom contém um nível muito alto de CAPE(Éster de fenetilo de ácido cafeico), com poderes comprovados de combate ao câncer, e as pesquisas sobre este própolis especial estão agora apenas no início. Até este momento, sabemos que o CAPE:

  • evita que as células cancerígenas orais mortais multipliquem-se, espalhem-se e sobrevivam, levando os pesquisadores a concluir que o CAPE deva ser usado “para o tratamento dos pacientes com cânceres orais avançados”;
  • tem um impacto letal nas células triplamente negativas do câncer de mama, parando o seu crescimento, e tornando-as muito mais vulneráveis às drogas quimioterápicos, e;
  • aumenta o sucesso do tratamento convencional nos casos de câncer de próstata avançado ou resistente.
  • Contém um outro composto chamado diterpeno, que tem quinze vezes mais atividade de combate ao câncer do que outras substâncias químicas semelhantes.
  • Rico em vesitrol e formononetina, compostos únicos no combate ao câncer.

Própolis brasileiro vermelho

Produto raríssimo.

Um recente estudo de muitos compostos encontrados no própolis brasileiro vermelho demonstraram-se tão promissores que isto levou os pesquisadores a concluir que este própolis único “tem o potencial a servir como uma droga anticancerígena.”

Também contém vesitrol e formononetina, compostos únicos no combate ao câncer.
Riquíssimo em antioxidantes e polifenóis.

Contém altas concentrações de artepelin-C, um composto anti-PAK1 que é uma substância que 70% dos canceres dependem para sobreviver, portanto quando se pensa em combater o câncer, o PAK 1é o alvo principal. Quando esta enzima está em atividade, ela ajuda as células cancerígenas a invadir e se alastrarem.

Apesar de suas composições muito diferentes, todos os três tipos de própolis de abelhas brasileiras comprovadamente a nível laboratorial em animais foram eficientes em vários tipos de cânceres, apesar de ainda não haver estudo publicado em seres humanos.

A dose curativa correta ainda não foi firmemente estabelecida, pois ainda nenhum estudo de câncer humano com esta mistura brasileira de própolis foi publicada.

A dosagem recomendada para manter a boa saúde é uma cápsula por dia. Para um apoio mais ativo, é seguro tomar até seis cápsulas por dia, em doses divididas.

Referências bibliográficas:

  • Recent Res Devel Cancer, 2000;2:305-317.
  • Toxicology, 2005; 212(2-3): 155-64
  • Mol Cell Biochem., 2005; 276(1-2): 31-7
  • Ann Clin Lab Sci., 2005; 35(4): 440-8
  • Planta Med. 2007 Oct;73(13):1377-83
  • Phytother Res. 2009 Mar;23(3):423-7
  • Clin Rev Allergy Immunol. 2012 Jun 17
Previous ArticleNext Article
Médico, Cirurgião Vascular especializado em medicina preventiva e alta performance. Possui vários artigos publicados em revistas médicas, além de 8 livros com temas relacionados à nutrição, medicina preventiva e esportiva. (CRM 47078)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER