Prevenção

Férias: porque ter mais medo de germes do que de andar de avião

As férias estão aí, e se você estiver viajando nesse período, fique atento ao que eu vou te dizer. Enquanto muita gente tem medo de andar de avião, eu ficaria mais preocupado com outra coisa: os germes aos quais ficamos expostos durante as viagens.

Você tem que lutar contra as multidões das pessoas, e se estiver voando, pode esperar ser tratado como uma sardinha espremida em uma lata voadora… Mas a pior parte não é o espaço apertado, com assentos minúsculos e o espaço para as pernas que tem desaparecido rapidamente; não é a criancinha malcriada que está reclamando na fileira próxima e nem mesmo é o cara atrás de você, que continuamente fica batendo no seu assento com os seus joelhos. Ah! E também não é o outro cara, dormindo do seu lado, quase deitando em seu ombro…

Não! É o sistema fechado de ar na cabine – que espalha germes por todo o avião!

Se alguém espirrar na primeira classe, até o final do voo os germes terão feito uma parada em cada fileira no avião. Um estudo descobriu que os germes são 100 vezes mais prováveis de se espalharem em um voo do que em terra.

Onde está a diversão nisso?  É o bastante para fazê-lo querer ficar em casa! Mas você quer ver a sua família e amigos, ou aproveitar para conhecer aquele destino turístico tão sonhado.

Então, sobram duas opções:

  1. Usar aquelas roupas “lunares” amarelas do centro de controle de doenças.  Mas vão te olhar feio… e alguém pode até chamar a segurança.
  2. Dar ao seu sistema imune algo melhor que uma roupa lunar.  É uma armadura que pode lhe proteger dos bichinhos que causam o resfriado do viajante.  E é invisível, então ninguém vai chamar os seguranças para te darem uma “triagem especial”.

Como vestir uma armadura invisível a prova de germes

Vou te dar as dicas de como montar um KIT IMUNOESTIMULANTE DE VIAGEM. As ferramentas para isso são naturais. Veja só:

Sono:  Você precisa descansar, viajando ou não.  E você precisa disso especialmente antes de ser exposto aos Germes da Aeronave. Um estudo rastreou o sono de 164 homens e mulheres por uma semana. Em seguida, os pesquisadores usaram um verdadeiro sistema clínico de entrega de germes, ao colocar o vírus no nariz de cada voluntário com um conta-gotas.

Apesar de todos serem expostos, nem todos ficaram doentes. Aqueles que tinham dormido menos que seis horas tinham mais de 400% de chance de pegar um resfriado, em comparação com os que tinham dormido sete horas ou mais.

Equinácea: Além de ajudar na cura do resfriado comum, também pode ser útil para evitá-lo, cortando o seu risco de pegá-lo em 58%, de acordo com um estudo. Combine-a com um pouco de vitamina C, e você pode cortar o seu risco de resfriado em até 86%.

Além do mais, foi demonstrado que essa combinação é tão eficaz quanto o remédio Tamiflu contra a gripe, mas sem os efeitos colaterais.

Zinco:  Este é outro elemento que as pessoas buscam quando já estão com resfriado.  Mas se você tomar este suplemento antes de voar, terá um grande reforço preventivo contra o resfriado. Uma análise de dois estudos, envolvendo mais de 1.500 pacientes combinados, descobriu que as pessoas que tomam suplementos de zinco sofrem 40% menos resfriados que aquelas que tomaram o placebo.

Só não exagere com o zinco; demais pode ser tão ruim quanto de menos.

Vitamina D:  Você já sabe que a vitamina do sol é um vencedor comprovado da gripe, e que é até 800% mais eficaz que a vacina contra a gripe. Mas ela também pode fazer algo que nenhuma vacina no mundo pode alegar: vencer o resfriado comum! Um estudo do Japão, em crianças em idade escolar, (a escola é o único lugar onde os resfriados alastram-se mais rápido do que no avião) descobriu que aqueles que receberam 1200 UI, de vitamina D tinham 3 vezes menos chances de pegar um resfriado.

Probióticos: Não se esqueça dos seus probióticos!  Cerca de 80% do seu sistema imune está localizado no seu trato digestivo. E bons bichinhos intestinais podem ajudar na luta contra os maus.  Aliás, em outro estudo, atletas que tomaram probióticos tiveram 40% menos resfriados que os que receberam um placebo.

Essas dicas com certeza podem ajudá-lo a sair do próximo voo de férias sem trazer junto uma bagagem inesperada e indesejada de germes.

Afinal, são férias, e nada melhor do que ter uma supersaúde para aproveitar!

[divider]

Referências bibliográficas:  

  • NPR July 14, 2014
  • The New York Times March 2, 2011
  • The Med Lett, April 1, 2002;44(1127):29-32
  • Clin Infect Dis, March 15, 2005; 40:807-810
  • Cleve Clin J Med, January, 1999; 66(1):27-32
  • Special Report: Zinc, December 20, 1993; 15-20.
  • Arch Intern Med, 2009; 169(4): 384-90
  • Eur J Nutr, 2013 Sept 3
  • Br J Surg, 2001; 88:161-162
  • British Journal of Sports Medicine, 2006; 40(4): 351-4
  • Nutrition, 2000; 16:308-309.
  • The Lancet, April 13, 1991; 337:922-923
Previous ArticleNext Article
Médico, Cirurgião Vascular especializado em medicina preventiva e alta performance. Possui vários artigos publicados em revistas médicas, além de 8 livros com temas relacionados à nutrição, medicina preventiva e esportiva. (CRM 47078)
Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER