Alimentação

Óleo de coco: de volta para o futuro

Vivemos em uma época de quebra de paradigmas facilitada pelo acesso rápido à informação proporcionada pela internet, o que pode levar a confusões, quando não nos dispomos a estar atualizados. Outra grande dificuldade é em que acreditar, pois há informações novas e antigas, antagônicas, que coexistem. Se tomarmos em nossas mãos artigos médicos recentes e livros atuais veremos a abundância de estudos científicos validando os benefícios da gordura saturada boa, e no caso em questão, o óleo de coco.

Por 60 anos, as autoridades médicas nos fizeram acreditar que gordura saturada elevava colesterol, causava doenças cardíacas, obesidade e até o mal de Alzheimer. Nós, pobres mortais, deixamos de consumi-la esperando dias melhores. Mas essas doenças continuam aumentando.

Isso sinaliza que algo deve estar errado. Até porque, em populações de ilhas do Pacífico, que retiram de 30% a 60% de suas calorias diárias do óleo de coco, rico em gordura saturada, os índices de doença cardiovascular, por exemplo, são ínfimos.

 

Então onde está o segredo?

Óleo de coco é composto de forma que 2/3 dele sejam ácidos graxos de cadeia média, conhecidos como TCM. Esses tipos de ácidos graxos produzem uma variedade surpreendente de benefícios para a saúde. É importante destacar que o óleo de coco é a fonte mais rica em TCM na natureza.

Por outro lado a maioria dos óleos de sementes ou vegetais contém triglicérides de cadeia longa, ou seja, TCL.

Agora compreenda o que esses ácidos graxos de cadeia longa (TCL), que não são tão saudáveis para você causam:

– Eles são difíceis de serem quebrados pelo seu corpo, requerendo enzimas especiais para digestão;

– Colocam maior sobrecarga em seu pâncreas, fígado e sistema digestivo como um todo;

– São depositados como gorduras no corpo;

– Podem ser depositados nas artérias na forma de colesterol.

 

Ao contrário destes ácidos graxos de cadeia longa (TCL), veja o que os ácidos graxos de cadeia média (TCM) do óleo de coco fazem por sua saúde:

– São menores e não requerem enzimas especiais para serem utilizados efetivamente pelo seu corpo, passando facilmente pelas membranas celulares;

– São facilmente digeridos, com isso diminui a sobrecarga no seu sistema digestivo;

– Vão direto para o fígado onde é imediatamente convertido em energia em vez de ser depositado como gordura; e

– Estimula o seu metabolismo, levando a perda de peso.

 

Quais são as ações do óleo de coco no que diz respeito ao emagrecimento?

Como os TCM são usados para produção de energia em vez de se depositarem como células gordurosas, o óleo de coco pode ser muito útil no controle de peso. Na verdade o Coconut Oil tem a reputação de ser a gordura de mais baixa caloria que existe.

Uma gordura de baixa caloria é uma definição estranha, mas Coconut Oil se encaixa nesta perfeitamente nessa descrição. Ele tem essa reputação primariamente por três razões básicas. Primeiro, o Coconut Oil na verdade tem menos calorias do que as outras gorduras. Todas as outras gorduras têm 9 calorias por grama. O óleo de coco tem um pouco menos, cerca de 8,6 calorias por grama. Isso significa que você terá tido menos excessos calóricos e, portanto, menos depósito de gordura nas células.

A segunda razão vem ilustrada por um estudo publicado no International Journal of Obesity. O estudo compara o efeito do apetite no consumo de TCM e TCL. Esse estudo consiste em três fases de 14 dias cada. Os voluntários tiveram acesso a alimentos ricos em gorduras em cada período de 14 dias assim divididos:

– Na 1ª fase a alimentação continha 20% de gordura de TCM e 40% de TCL.

– Na 2ª fase tiveram iguais quantidades de TCM e TCL.

– Na 3ª fase 40% de gordura era de TCM e 20% de TCL.

 

Os indivíduos podiam comer à vontade nas três fases. Os pesquisadores observaram que quando houve o aumentou do conteúdo de TCM na alimentação total consumida, diminui-se o consumo calórico, pois houve satisfação mais rápida do apetite e de maior duração do que qualquer outro óleo da alimentação.

O terceiro motivo que faz com que o óleo de coco tenha essa reputação é a de que ele eleva o metabolismo. Conforme o metabolismo aumenta, as calorias são consumidas mais rapidamente. Com isso mais calorias são queimadas, poucas são deixadas para serem convertidas em gordura de depósito.

O metabolismo é avaliado pela medição de energia expedida. A energia expedida é a proporção que essas calorias são consumidas. Quanto maior o metabolismo maior a taxa de consumo de energia. Só de adicionar óleo de coco a uma refeição você irá essencialmente reduzir o número efetivo de calorias por refeição.

Em outro estudo que se mediu a expedição de energia antes e depois de uma refeição contendo TCM, a energia expedida em indivíduos de peso normal aumentou em 48%. Em outras palavras, o metabolismo aumentou 48%. Em indivíduos obesos a expedição de energia aumentou 65%.  Portanto, quanto mais acima do peso a pessoa estiver, maior é o efeito do óleo de coco em estimular o metabolismo. Essa é uma boa notícia para indivíduos obesos que desejam usar o óleo de coco para ajudá-los a perder peso.

Outra boa notícia sobre esse assunto é a de que esse aumento de metabolismo não acaba em 1 a 2 horas após a refeição. Os estudos mostram que depois de uma refeição contendo TCM, o metabolismo se mantém elevado por 24 horas. Durante esse período o seu corpo estará queimando a uma proporção acelerada e você irá desfrutar de um aumento do nível de energia.

Os pesquisadores da Universidade McGill, no Canadá, têm observado que se substituirmos todos os óleos e gorduras da nossa alimentação que são considerados TCL, como soja, canola, girassol e outros óleos de cozinha típicos, por TCM como o óleo de coco, podemos perder mais de 18 kg de excesso de peso por ano! E o melhor, você pode alcançar isso sem mudar a sua alimentação ou precisar reduzir o total do número de calorias que você consome.

É importante compreender também que no caso dos indivíduos magros, não significa que eles vão ficar ainda mais magros. Os estudos têm mostrado que quanto menos gordura corporal você tem, menor é o efeito do óleo de coco na estimulação do metabolismo e queima de calorias.

Também pessoas abaixo do peso ou má nutridas ganham peso e se tornam saudáveis consumindo o óleo de coco. Em resumo, o óleo de coco ajuda você a chegar à sua medida ideal.

 

Compulsão alimentar

O óleo de coco satisfaz a fome melhor do que qualquer outra gordura, e provavelmente do que qualquer outro alimento. Quando você o associa a uma refeição, você fica satisfeito logo e não tem apetite entre refeições, portanto você pode ficar bastante tempo sem precisar de snacks. Com isso, no final do dia, você tende a ter comido menos alimentos e, portanto, menos calorias.

Procure consumir o óleo de coco para esta finalidade em até 2 horas antes do almoço e do jantar. Com isso você irá para a mesa sem compulsões alimentares.

 

Para a tireoide

O óleo de coco melhora a função da tireoide. Quando as pessoas com hipotireoidismo (produção insuficiente de hormônio tireoidiano) começam a consumir óleo de coco, elas frequentemente referem aumento de energia pela melhora da função tireoidiana. Muitos indivíduos que sofrem com problemas de tireoide são capazes de eliminar a medicação por completo quando começam a consumir óleo de coco. Obviamente você não deve nunca suspender a medicação de tireoide sem antes consultar o seu médico.

Procure um produto de óleo de coco que contenha vitamina A associada, pois terá resultados ainda mais importantes na saúde da sua tireoide. Essa combinação dará a sua tireoide os componentes básicos necessários para o seu bom funcionamento.

Sal refinado e frutos do mar também melhoram a função da tireoide por fornecerem Iodo. Manteiga proveniente de vacas criadas a pasto é também uma excelente fonte de Iodo e vitamina A.

Elimine também alimentos com soja, pois inibem a função tireoidiana.

No caso do hipertireoidismo, o óleo de coco também normaliza a função tireoidiana, caso você tenha uma tireoide hiperativa.

 

Para diabéticos

O seu corpo envia os TCM diretamente para o seu fígado para ser usado como energia. Isso faz com que o óleo de coco seja uma fonte poderosa de energia imediata, função essa similar ao carboidrato simples, que faze isso normalmente na alimentação.

Como o óleo de coco e o carboidrato compartilham da habilidade de levar energia rápida para o seu corpo, eles diferem num ponto crucial: óleo de coco não produz picos de insulina na sua corrente sanguínea. Age como se fosse um carboidrato, porém sem causar os efeitos debilitantes associados com o consumo excessivo de carboidratos.

Diabéticos e pré-diabéticos vão se beneficiar imediatamente com esses benefícios, perdendo peso, ganhando energia e diminuindo a sua predisposição ou evolução do Diabetes.

 

Parece haver luz no fim do túnel

Grande parte da comunidade médica e científica já admite que o óleo de coco traz inúmeros benefícios em especial para perda e controle de peso, de uma forma segura e saudável.

Isso é um salto de qualidade para dias melhores.

 

Referência Bibliográfica

– Assunção ML, Ferreira HS, dos Santos AF, Cabral CR Jr, Florêncio TM. Effects of dietary coconut oil on the biochemical and anthropometric profiles of women presenting abdominal obesity, Lipids, 2009 Jul;44(7):593-601.

– Baba, N  1982. Enhanced thermogenesis and diminished deposition of fat in    response to overfeeding with diet containing medium-chain triglycerides,  Am. J. Clin. Nutr.,  35:379.

– Barry Groves, PhD.  Second Opinions: Exposing Dietary Misinformation: The Cholesterol Myth, parts 1 and 2.

– Daneil R. Doerge, Hebron C Chang “Inactivation of thyroid peroxidase by soy isoflavones in vitro and in vivo”, Journal of Chromotography B, September 2002; 777(1,2);25:269-79.

– Dr. Bruce Fife, N. D., Coconut water for health and healing.

– Dr. Bruce Fife, N.D. Coconut Oil and Medium-Chain Triglycerides.

   – Dr. Bruce Fife, N.D., The coconut oil miracle.

– Dr. Mary G. Enig, Ph.D, Know Your Fats: The complete primer for understanding the nutrition of fats, oils and cholesterol.

– Dr. Mary G. Enig, Ph.D., F.A.C.N. Source: Coconut: In Support of Good Health in the 21st Century.

– Dr. Mary G. Enig, Ph.D., F.A.C.N. Source: Coconut: In Support of Good Health in the 21st Century, part 2.

– Dr. Wilson Rondó Jr. , Sinal Verde para a Carne Vermelha.

– Dr. Wilson Rondó Jr., Emagreça e Apareça.

– Fushiki, T and Matsumoto, K Swimming endurance capacity of mice is increased by consumption of medium-chain triglycerides, Journal of Nutrition, 1995;125:531.

– Geliebter, A .  Overfeeding with a diet of medium-chain triglycerides impedes accumulation of body fat, Clinical Nutrition, 1980; 28:595.

– Isaacs CE, Litov RE, Marie P, Thormar H. Addition of lipases to infant formulas produces antiviral and antibacterial activity, Journal of Nutritional Biochemistry, 1992;3:304-308.

– Isaacs CE, Schneidman K. Enveloped Viruses in Human and Bovine Milk are Inactivated by Added Fatty Acids(FAs) and Monoglycerides(MGs), FASEB Journal, 1991;5: Abstract 5325, p.A1288.

– K. G. Nevin and T. Rajamohan, “Beneficial effects of virgin coconut oil on lipid parameters and in vitro LDL oxidation”, Clinical Biochemistry, September 2004; 37(9): 830-835.

– Kaunitz H, Dayrit CS. Coconut oil consumption and coronary heart disease. Philippine Journal of Internal Medicine, 1992;30:165-171.

– Marina AM, Man YB, Nazimah SA, Amin I.  Antioxidant capacity and phenolic acids of virgin coconut oil, Int J Food Sci Nutr, 2009;60 Suppl 2:114-23. Epub 2008 Dec 27.  http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19115123

– Mitsuto Matsumoto, Takeru Kobayashi, Akio Takenaka and Hisao Itabashi.  Defaunation Effects of Medium Chain Fatty Acids and Their Derivatives on Goat Rumen Protozoa, The Journal of General Applied Microbiology, Vol. 37, No. 5 (1991) pp.439-445.

– Mozaffarian D, Rimm EB, Herrington DM. Dietary fats, carbohydrate, and progression of coronary atherosclerosis in postmenopausal women, Am J Clin Nutr, 2004;80:1175-84.

– Nevin KG, Rajamohan T. Effect of topical application of virgin coconut oil on skin components and antioxidant status during dermal wound healing in young rats, Skin Pharmacol Physiol, 2010;23(6):290-7. Epub 2010 Jun 3.

– Prior IA, Davidson F, Salmond CE, Czochanska Z. Cholesterol, coconuts, and diet on Polynesian atolls: a natural experiment: the Pukapuka and Tokelau Island studies, American Journal of Clinical Nutrition, 1981;34:1552-1561.

– Raymond Peat Newsletter – Unsaturated Vegetable Oils Toxic, 1996 edition, p.2-4.

– Raymond Peat Newsletter, Coconut Oil, reprinted at www.heall.com.

– Robert H Knopp and Barbara M Retzlaff, Saturated fat prevents coronary artery disease? An American paradox, American Journal of Clinical Nutrition, Vol. 80, No. 5, 1102-1103, November 2004.

– St-Onge MP, Jones PJ. Greater rise in fat oxidation with medium-chain triglyceride consumption relative to long-chain triglyceride is associated with lower initial body weight and greater loss of subcutaneous adipose tissue, International Journal of Obesity & Related Metabolic Disorders, 2003 Dec;27(12):1565-71.

* Dr. Bruce Fife, N.D., Coconut Cures – Preventing and Treating Common Health Problems with Coconut.

* Dr. Mary Enig, Ph.D, Eat Fat Lose Fat.

 

Previous ArticleNext Article
Médico, Cirurgião Vascular especializado em medicina preventiva e alta performance. Possui vários artigos publicados em revistas médicas, além de 8 livros com temas relacionados à nutrição, medicina preventiva e esportiva. (CRM 47078)

1 Comment

Deixe uma resposta para Mauricio Dias Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER