Saúde

O que o álcool provoca em nós?

Em quantidades suficientes, o álcool é um veneno, um produto que cria dependência, que separa as famílias e faz com que as pessoas cometam atos terrivelmente sem sentido. Por outro lado, é um poderoso “lubrificante” social. Realça os alimentos, traz alegria, prazer e traz verdadeira alegria para as pessoas.

Então… É bom ou ruim? É um presente ou um veneno?

Vamos ver os 2 lados desta estória.

Efeitos negativos do álcool

1 – É tóxico

Nossa habilidade em degradar álcool em substâncias menos tóxicas não é das melhores.Durante o transcorrer do dia, o sistema digestivo humano produz 3,0 g de etanol pela flora intestinal em decorrência do conteúdo do trato digestivo. Nós não temos a capacidade de metabolizar o etanol, sendo que estas 3,0 g representam uma importante carga de tóxicos para o nosso corpo.

Depois que se consome o álcool, ocorre uma série de reações enzimáticas no fígado. Uma enzima chamada álcool desidrogenase o converte em acetaldeído, um composto altamente tóxico que está correlacionado com o aparecimento dos sintomas de ressaca.

Depois, uma enzima chamada acetaldeidodehidrogenas e converte acetaldeído em ácido acético ou vinagre. Porém, não são todas as pessoas que produzem a mesma quantidade de enzimas de desintoxicação. Algumas, mais eficientes, conseguem neutralizar bem o processo, enquanto há outras que elevam o risco de câncer de esôfago e dano hepático.

2 – Pode gerar gordura no fígado

Na metabolização do álcool a nível hepático, há um aumento de relação NADH / NAD, promovendo a criação de células gordurosas no fígado, com consequente redução da oxidação das gorduras, aumento de gordura no fígado e comprometimento da queima de gordura. Acetaldeido também induz inflamação no fígado, o que leva a progressão para cirrose e falência hepática.

3 – Pode ser carcinogênico

O consumo excessivo de álcool está correlacionado com alto fator de risco para diversos tipos de câncer, como de estômago, fígado, cólon e etc…

No estômago e fígado, o álcool dehidrogenase converte etanol em acetaldeído, que é inflamatório e tóxico. Quando atinge o intestino delgado, o álcool é oxidado também em acetaldeido, desta vez pela flora intestinal. O fígado produz enzimas necessárias para degradar acetaldeido em ácido acético. Porém, nossa flora intestinal não é “bem equipada”, e assim a acetaldeidose mantém-se ativa por mais tempo.

4 – Causa dependência

Qualquer dependência, aliás, tudo o que promove dependência, é sempre algo negativo.No caso do álcool, por ser tóxico, é desfavorável à saúde. Ele causa menos dependência que o cigarro e crack, por exemplo, mas é mais difícil de se largar do que heroína, cocaína e cafeína.Há um fatorhereditário que precisa ser levado em consideração, e isso faz algumas pessoas serem mais ou menos dependentes.

5 – Compromete o sono

No início, o álcool ajuda a dormir rápido. Porém, causa um sono de má qualidade, com muita interrupção.

6 – Compromete lucidez e julgamento

Sob o efeito do álcool, as pessoas têm seus julgamentos prejudicados. Um pequeno acidente, por exemplo, é interpretado como ofensa pessoal.

7 – Comprometimento da habilidade de guiar

Estatisticamente, 1 a cada 3 acidentes com morte, envolve condutores embriagados.

8 – Promove mais hábitos alimentares errados

Com o consumo de bebida alcoólica, aumenta a vontade de consumir algo salgado, lanches, etc…

9 – Causa ressaca

Normalmente, ignora-se os riscos, mas a ressaca é o aviso de que o perigo existe.

Efeitos positivos do álcool

1 -Melhora a função endotelial

Inicialmente, melhora a função endotelial pelo aumento da produção de óxido nítrico, que dilata os vasos sanguíneos, regula a pressão arterial e relaxa a musculatura vascular regula. Com isso, melhora a função endotelial, fundamental para uma boa saúde cardiovascular. Porém, conforme se consome doses maiores de álcool, há um declínio da função endotelial.

2 – Reduz estresse

Após um dia estressante, é normal as pessoas usarem 1 a 2 doses de cerveja, vinho ou whisky para reduzir o estresse. Isso é algo que pode ser visto como aceitável, pois além de melhorar o sono, melhora o relacionamento com as pessoas próximas. Porém, deve-se optar por agir na causa e não na consequência do estresse. É bem claro, em termos de estudos, que até 2 doses por dia têm efeito benéfico para o risco cardiovascular, com redução de risco em até 60%.

3 – Melhora a socialização

É importante para ser feliz e saudável a presença de amigos, e o álcool melhora essa relação. O isolamento social está correlacionado com aumento de mortalidade. Lógico que não devemos deixar essa socialização inteiramente dependente de bebidas alcoólicas, mas que é um estimulante poderoso, ninguém pode dizer ao contrario.

4 – Reduz glicemia e lipoperoxidação pós-refeição

O consumo de álcool com a refeição tem mais esse efeito positivo.

5 – Reduz absorção do ferro

O etanol inibe a absorção do ferro heme, o tipo encontrado na carne vermelha, sendo o vinho o mais eficiente. Café e chá preto também apresentam esse efeito. Indivíduos com hemocromatose apresentam uma absorção hiper aumentada de ferro heme da alimentação. Portanto, pode ser útil nestes casos.

Se você vai beber, veja as dicas:

  • O faça em conjunto com a alimentação. Assim você se beneficia da inibição da absorção do ferro heme, melhora a sua glicemia pós prandial e inibe a oxidação lipídica. Além do mais, no caso de se consumir álcool de estomago vazio, aumenta-se sua absorção, trazendo mais efeitos desfavoráveis.
  • Beba água com frequência. Com isso, você aumenta o volume gástrico, o que diminui a absorção do álcool. Aliás, isso já era prática comum entre os gregos antigos!
  • Beba com moderação, pois é dessa forma que se consegue benefícios de saúde.  Isso significa até 3 doses / dia. Acima disso, há uma queda abrupta em termos de benefícios para a saúde.

Referências bibliográficas:

  • Journal of Pharmacology, 1988 May;245(2):pp. 407-12
  • American Journal of Psychiatry, 2001 February;158(2):pp.198-204
  • Journal of Studies on Alcohol, 2004 Jan;65(1):pp. 37-45
  • Aggress Violent Behav. 2004 May;9(3):271-303
  • The Lancet Oncology, 2007 April;8(4):pp.292-3
  • ToxicolApplPharmacol. 2007 November 1; 224(3): 274–283.
  • Journal of Agricultural and Food Chemistry 2008, 56 (22), pp 10625–10632
  • Journal of Food Biochemistry February 2008, Vol. 32 Issue 1 Page
    15-31
  • J Interpers Violence. 2010 Sep;25(9):1563-78
  • J Gerontol A BiolSci Med Sci. January 4, 2012
  • Annals of the New York Academy of Sciences. Jan 2011; 1215:
    150-160
  • Gastroenterology. 2015 Aug;149(2):367-78.e5; quiz e14-5.
Previous ArticleNext Article
Médico, Cirurgião Vascular especializado em medicina preventiva e alta performance. Possui vários artigos publicados em revistas médicas, além de 8 livros com temas relacionados à nutrição, medicina preventiva e esportiva. (CRM 47078)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER