Alimentação

De onde vem o mito da gordura saturada e do colesterol?

Sabe aqueles conselhos que pedem pra você reduzir sua ingestão de gordura saturada, porque isso pode causar aumento de risco de obesidade e doença cardíaca? Esqueça esses conselhos!

E todas as recomendações que pregam que deve-se evitar gordura saturada, pois vai aumentar o seu LDL colesterol e obstruir as suas artérias, lhe colocando em risco de doença cardiovascular… Esqueça também!

Essas recomendações são baseadas em hipóteses não provadas. Na verdade, um grande número de estudos aonde se reexaminou essas avaliações tem mostrado exatamente o contrário: gordura saturada não aumenta o seu risco de doença cardíaca!

De onde vem esse mito da gordura saturada?

Há 6 décadas vem-se pregando essa distorção em relação à gordura saturada. O pesquisador Ancel Keys (1953), o homem que propôs a correlação entre gordura saturada e doença cardíaca, foi o grande responsável. Ele não divulgou seus estudos com a realidade que traziam: que a pesquisa não suportava a sua hipótese original.

Quando os pesquisadores reanalisaram as informações originais do Dr. Ancel Keys no estudo dos Sete Países, a base do início da gordurofobia, eles observaram que doença cardíaca estava mais correlacionada com ingestão de açúcar, e não gordura saturada como Keys afirmava.

Ancel Keys apresentava uma interpretação que distorcia o seu estudo original. Isso causou essa loucura de pouca gordura, que resultou em excessivo consumo de carboidratos refinados – o que tem levado a um aumento de inflamação e doenças.

Tudo está muito claro e comprovado, nunca houve evidência sólida para a ideia de que gordura saturada causa doença. Infelizmente, tudo isso se deve a uma mistura de ambição pessoal, má ciência, política e preconceito.     

Estudo de meia verdade

Hoje é sabido que somente parte dos resultados de ensaios foram publicados, deixando de fora a conclusão real e criando uma situação controversa, aonde a substituição de gorduras saturadas pelo óleo vegetal não trouxe nenhum benefício sobre a mortalidade.

A reavaliação desse estudo de referência mostrou exatamente o contrário, segundo Ramsden e colaboradores, que relataram os resultados no periódico British Medical Journal.

Estudos rigorosos que justificam a gordura saturada

O maior estudo deste tipo incluiu 9.423 participantes, entre 20 e 97 anos de idade, durante o período de 1968 a 1973. Eles foram divididos em 2 grupos, um com gordura saturada e o outro com óleos vegetais. Os pesquisadores observaram que:

  • óleos vegetais reduziram o colesterol total numa média de 14%, depois de um ano.

Entretanto, essa redução de colesterol não resultou em melhora de saúde e longevidade, como se esperava. Na verdade, essa redução de colesterol elevou o risco de morte! A cada 30 pontos de queda do colesterol, houve um aumento de 22% de risco de morte.

Na categoria dos 65 anos ou mais, os que receberam óleos vegetais tiveram 15% mais mortes quando comparados com a mesma faixa etária do grupo que consumiu gordura saturada. Segundo as autopsias, houve mais formação de placas arteriais no grupo do óleo vegetal (41%) em comparação com o grupo da gordura saturada (21%).

Conclusão

A substituição de gordura saturada por óleo vegetal, apesar de reduzir o colesterol total, não se traduziu em menor risco de morte por doença cardíaca ou outras causas. Foi mesmo a publicação incompleta de Ancel Keys que contribuiu para subestimar os benefícios de gordura saturada em relação aos óleos vegetais ricos em ômega 6.

Portanto, óleos vegetais não reduzem o risco de morte por doença cardíaca. Reduzir o seu colesterol não necessariamente é um sinal de melhora de saúde… Na verdade, aumenta o seu risco de morte!

Porque o óleo vegetal aumenta o risco de doenças

Por 3 motivos:

  1. Os óleos vegetais, que são gorduras polinsaturadas ricas em ômega 6, quando ingeridos em grande quantidades, não podem ser queimados como combustível. Em vez disso, ele é incorporado às membranas celulares e mitocondriais, aonde são altamente susceptíveis a oxidação que gerará danos metabólicos.
  2. Quando aquecidos, esses óleos vegetais se oxidam, e como consequência causam a oxidação do colesterol. Esse, e só nesta única condição, pode ser considerado o causador de doença cardíaca. O colesterol oxidado estimula inflamação, promove obstrução de artérias e está associado a doença cardiovascular, inclusive ataque cardíaco.
  3. A maioria desses óleos é altamente processada e feita com produtos de origem transgênica, cheios de resíduos do herbicida tóxico RoundUp.

O que dizem as novas pesquisas sobre gordura saturada

Em 2015, uma meta análise publicada pelo British Medical Journal não encontrou nenhuma associação entre níveis de gordura saturada na dieta e doença cardíaca, derrame ou diabetes.

Em 2014, nova meta análise publicada pelo Annals of Internal Medicine, com uma base de 80 estudos que analisaram cerca de meio milhão de pessoas, observou que os indivíduos que consomem altas quantidades de gorduras saturadas não têm mais doença cardíaca do que os que consomem menos.

Outra meta análise, que agregou 21 estudos com cerca de 348.000 adultos, não observou nenhuma diferença de risco de doença cardíaca em indivíduos com pouco ou muito consumo de gordura saturada e conclui que gordura saturada fornece uma série de importantes benefícios de saúde. A ciência mais recente sugere gorduras boas, que devem compreender entre 50 e 85% da sua alimentação.

Benefícios das gorduras saturadas

  • Nutri fosfolípides das membranas celulares;
  • Promove aumento da absorção de vitaminas lipossolúveis A, D, E e K;
  • Converte caroteno em vitamina A;
  • Aumenta absorção de minerais como o cálcio;
  • Importante na produção hormonal;
  • Combustível para as células cerebrais;
  • Reduz o colesterol;
  • É um agente antiviral;
  • Modulador da regulação genética;
  • Protetor de câncer;
  • Promove saciedade.

Acredito que desvendamos de onde vem o mito de que a gordura saturada faz mal para a sua saúde. É hora de mudar nossa forma de pensar e de nos alimentar, e você pode ajudar: compartilhe esta postagem com sua família e seus amigos! Fale pra eles que a gordura saturada é o herói da história, e não o vilão!

 

Referências bibliográficas:

  • The Lancet September 28, 1968, Volume 292, No. 7570, p693-700
  • Circulation. 1969; 40: II-1-II-63
  • Am J ClinNutrMay 1998 vol. 67 no. 5 828-836
  • JAMA. 1988;260(13):1917-1921
  • Am J Clin Nutr. 2010 Mar;91(3):535-46
  •  BMJ 2013;346:e8707
  •  BMJ 2013;347:f6340
  • BMJ 2015;351:h3978
  • BMJ 2016;353:i1246
  • New York Times April 13, 2016
  • Science Daily April 12, 2016
  • Livro Sinal Verde para a Carne Vermelha. Editora Gaia
  • Livro Óleo de coco; a gordura que pode salvar sua vida.  Editora Gaia
Previous ArticleNext Article
Médico, Cirurgião Vascular especializado em medicina preventiva e alta performance. Possui vários artigos publicados em revistas médicas, além de 8 livros com temas relacionados à nutrição, medicina preventiva e esportiva. (CRM 47078)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER