Saúde

hCG – Dúvidas Frequentes

Tenho observado muitos questionamentos sobre o hCG, tanto aqui no site quanto em minhas redes sociais. Então resolvi colocar aqui as dúvidas mais frequentes para que você entenda o que ocorre na realidade, e para que não fique com dúvidas sem fundamento.

1) Porque usar hCG com uma dieta de 500 calorias, se só a dieta já seria suficiente para emagrecer?

Ocorre que o hCG age no depósito anormal de gordura: conhecido como tecido adiposo, um tipo de gordura que não é necessária e se acumula quando o indivíduo fica obeso. É depositada isolada como uma fonte de combustível sobressalente, formando essas protuberâncias feias. O corpo gera isso como estratégia de sobrevivência, caso fique mal nutrido.

A ação do hCG é específica no depósito anormal de gordura, preservando a gordura saudável. Só com a restrição calórica esse processo até começa a funcionar, pois o corpo está com uma alimentação de baixa caloria. Isso força o organismo a usar as suas reservas de gordura como combustível, queimando aproximadamente 500 calorias por dia… Já com o hCG o corpo é capaz de transformar a gordura abdominal, em uma queima de 1.500 a 3.000 calorias/dia de energia. E quanto mais gordura de depósito você tiver, maior é a perda.

As pessoas geralmente não sentem fome quando estão usando o hCG porque as calorias provem desses depósitos anormais de gordura, “re-esculpindo” o corpo em ótima forma, o que não ocorre quando se faz só a dieta de 500 calorias.

Além disso, só com a dieta de 500 calorias, se sente fome, e a perda de peso promove uma aparência envelhecida, doentia, pois queima gorduras subcutâneas e massa magra com pouca ação nos depósitos anormais de gordura.

Resumindo:

Com hCG e dieta de 500 calorias o emagrecimento lhe trará uma aparência mais magra, porém com saúde, pois preserva-se as gorduras de sub-cutâneo de rosto, braço, pescoço e musculatura magra. Foca-se primeiramente só na gordura localizada da região abdominal.

2) hCG aumenta risco de câncer?

Os pacientes frequentemente me perguntam se usar o hCG apresenta algum risco de câncer.Os estudos em humanos não mostram que seja um risco, e há alguns estudos preliminares que evidenciam um efeito protetor contra o câncer de mama.Segundo a publicação do Journal Cancer Epidemiology Biomarkers and Prevention, observou-se que mulheres de 40 anos ou mais novas que usaram o hCG para perda de peso ou fertilidade tiveram uma evidência significativa menor de câncer de mama, comparado com quem não usava hCG. Um estudo publicado no Molecular and Celular Endocrinology observou que a terapia com hCG teve um efeito inibitório no câncer de mama para mulheres pós-menopausa que foram recentemente diagnosticados.Os pesquisadores observaram que o hCG reduziu o crescimento de célulascancerosas de mama, que foram estimuladas por estrógeno e progesterona.

O hCG estimula a produção de testosterona, e isso tem apresentado resultados impressionantes no mais temido dos problemas de saúde do sexo feminino: câncer de mama.

Num estudo realizado no Baton Rouge Menopause Clinic, os pesquisadores trataram 4.000 pacientes com uma combinação de estrógeno e testosterona. Somente 1 paciente em cada 1.000 foi diagnosticada com câncer no final do estudo: isso é menos do que metade da média nacional.
De toda forma, não faça nada por conta própria. Eu recomendo que converse com o seu médico antes de usar o tratamento com hCG. Supersaúde!

Referências bibliográficas:

  • hCG – Dr. Simeons
  • The Pituitary Body,” in Organotherapy in General Practice. G W Carnrick C New York City, 1924, pages 124-127
  • American Journal of Medical Sciences 1918; November: 714
  • J ReprodFertil 1981; 63(1): 101-108
  • Am J ClinNutr 1976; 29: 940-948
  • Am J ClinNutr 1973; 26: 211-218
  • Pounds and Inches. Dr. ATW Simons. 1954
  • Protocol for Obesity Treatment. Aesthetic Plastic Surgery.1987
  • Ann NY AcadSci, 1995;774:128-142.
  • American Journal of Epidemiology, 1997;145(11):1030-1038
  • Arch Gen Psychiatry, February, 2000;57:149-153.
  • Clin Geriat Med, 2003;19:605-616
  • Horm Metab Res. 2011 Mar;43(3):223-5.
  • J Sex Med. 2013 Feb;10(2):493-9.
Previous ArticleNext Article
Médico, Cirurgião Vascular especializado em medicina preventiva e alta performance. Possui vários artigos publicados em revistas médicas, além de 8 livros com temas relacionados à nutrição, medicina preventiva e esportiva. (CRM 47078)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER