Saúde

Frutose: Um Risco para a Diabetes

Evitar o consumo de frutose pode ajudar você a evitar o diabetes e melhorar a sua qualidade de vida

O diabetes tem se apresentando como uma das doenças que mais tem atacado a população. Por isso, toda atenção e cuidado na prevenção e tratamento deste mal é algo fundamental para a manutenção da qualidade de vida.

Entre as medidas a serem tomadas uma delas merece sua especial atenção: o consumo de frutose, o açúcar das frutas.

A frutose aumenta os níveis de insulina interferindo na comunicação entre leptina (hormônio que inibe o apetite e estimula o gasto de energia) e seu hipotálamo, fazendo com que o seu sinalizador de satisfação alimentar não seja ativado. O seu cérebro fica sempre com a sensação de desejo e pronto para comer mais. Essa ação faz com que você ganhe peso e também aumente o risco de ter diabete.

O que estamos dizendo aqui não significa que você deva abandonar de vez o consumo de frutas. Muito pelo contrário! O que você precisa fazer é controlar este consumo cuidadosamente. Como geralmente consumimos também outros alimentos processados, vamos estabelecer que o limite de consumo da frutose gire em torno de 15 gramas ou menos.

Veja alguns exemplos da concentração de frutose nas suas frutas favoritas.

Fruta                                       Quantidade                           Gramas de Frutose

Limão                                     1 médio                                 0,6

Cantaloupe                           1/8 de melão                        2,8

Kiwi                                         1 médio                                 3,4

Abacaxi                                  1 fatia                                     4,0

Tangerina                              1 média                                 4,8

Pêssego                                1 médio                                 5,9

Papaya                                   ½ médio                                6,3

Banana                                  1 média                                 7,1

Maçã                                       1 média                                 9,5

Melancia                                1/16 porção                          11,3

Uvas                                       ¼                                             12,3

Manga                                    1 média                                 16,2

Apricot                                    1 média                                 16,4

Figo                                        1 médio                                 23,0

 

É importante destacar aqui que não é somente através das frutas que estamos consumindo frutose.

O xarope de milho, por exemplo, é um dos alimentos ricos em frutose. O xarope foi desenvolvido em 1966, no Japão, e introduzida na América no ano de 1975. Neste momento, produtores de alimentos e bebidas começaram a utilizar o xarope de milho ao invés da sacarose (açúcar de mesa), pois descobriu-se que produzir o xarope era muito mais barato, o que faria o produto custar até três vezes menos. Isso mudou a alimentação americana.

Além de mais barato, o xarope de milho é cerca de 20% mais doce do que o açúcar de mesa.

Hoje, o xarope de milho é encontrado em todo tipo de alimento processado sendo que o uso do mesmo aumentou 10.673% entre 1970 e 2005, de acordo com estudos americanos. O consumo anual de açúcar na América é 282 kg por pessoa e 126 kg disso é originado de xarope de milho.

Dados alarmantes trazem que os adolescentes estão consumindo 73 gramas de frutose por dia, na maioria em refrigerantes ou suco de frutas, sendo que 12% da sua ingestão calórica vêm da frutose. Além disso, muitas fórmulas de alimentos produzidos para bebê têm mais de 50% de açúcar em sua composição, sendo 43% derivado do xarope de milho em forma sólida.

Fique atento! Se o açúcar pode ser ruim para a saúde, o adoçante preparado com o xarope de milho é muito pior. Ele pode causar o crescimento, perigoso, de células de gordura ao redor dos órgãos desencadeando estágios iniciais de diabetes, doenças cardíacas e obesidade.

 

Referências bibliográficas:

K. L. Stanhope, A. A. Bremer, V. Medici, K. Nakajima, Y. Ito, T. Nakano, G. Chen, T. H. Fong, V. Lee, R. I. Menorca, N. L. Keim, P. J. Havel. Consumption of Fructose and High Fructose Corn Syrup Increase Postprandial Triglycerides, LDL-Cholesterol, and Apolipoprotein-B in Young Men and Women. Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, 2011

Richard J. Johnson, MD and Takahiko Nakagawa, MD. The Effect of Fructose on Renal Biology and Disease. Journal of the American Society of Nephrology, November 29, 2010

Excess Fructose May Play Role in Diabetes, Obesity and Other Health Conditions Journal of the American Society of Nephrology Nov. 22, 2010

Previous ArticleNext Article
Médico, Cirurgião Vascular especializado em medicina preventiva e alta performance. Possui vários artigos publicados em revistas médicas, além de 8 livros com temas relacionados à nutrição, medicina preventiva e esportiva. (CRM 47078)

1 Comment

  1. Meu médico ontem mesmo falou sobre isso. Estou no que ele chama de pré diabete e proibiu principalmente as uvas,melancia,figo dentre outras.
    É uma pena mas quando reverter o quadro acho que poderei comer moderadamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER