Especiais

Quando seu Estômago Ronca é Sinal de Fome?

Sabe aquela situação desagradável, sempre inoportuna, de escutar aqueles roncos e ruídos que supostamente vem do seu estômago? E aí, o que acontece? Você, de forma envergonhada, fala ou ouve que pode ser fome.

Saiba que isso não significa que você está com fome e nem que realmente é o seu estomago o causador.

Esses sons estrondosos associados com o “grunhido do estômago” são originados tanto do estômago como do intestino delgado.

Isso resulta das contrações musculares dentro de sua parede intestinal que comprimem os gases e o ar retido, com o objetivo de digerir e propelir alimentos através do seu corpo. É conhecido como peristaltismo.

Nesse processo os alimentos e bebidas que você consome estão constantemente sendo movidos de seu estômago para seu ânus.

Ao longo desse trajeto, eles estão sendo misturados com uma variedade de sucos digestivos, gerando o quimo, que através dos seus ruídos de transito contribuem para o processo.

Normalmente, o grunhido do estômago não é motivo de preocupação, e segundo a International Foundation for Functional Gastrointestinal Disorders:

“Quer seja audível ou não, os sons intestinais na ausência de outros sintomas significativos são fenômenos normais sem importância médica. Seu prejuízo é constrangimento, uma aflição social e não uma doença médica”.

Por que o corpo faz esses barulhos quando ficamos horas sem comer?

Na verdade, esses sons de grunhidos podem acontecer não apenas quando você está com fome ou quando seu sistema digestivo está relativamente vazio, mas a qualquer momento.

O processo digestivo é contínuo, seu estômago envia sinais para seu cérebro aproximadamente duas horas depois de comer para iniciar novamente as contrações do peristaltismo.

Com a ausência de alimentos, desencadeia uma atividade elétrica sob a forma de ondas reflexas, conhecidas como complexos mioelétricos migratórios. Durante as contrações da fome, essas ondas reflexas originárias na região inferior do estômago viajam através do seu intestino delgado e do seu cólon.

Isso gera varredura de qualquer bactéria, comida ou muco nesse trajeto que inicia o processo para torná-lo com fome da sua próxima refeição, produzindo vibrações e o barulho comumente associado ao grunhido de estômago.

Quando os sons do intestino merecem atenção médica

  1. Diarreia: ocorre um transito intestinal hiperativo aonde pode haver níveis mais altos de fluido e gás, com presença de sons amplificados e fezes aquosas, que certamente você já vivenciou. Para saber mais sobre o que fazer nesses casos veja aqui o meu artigo sobre diarreia.  E lembre-se: caso não haja melhora, converse com o seu médico.
  2. Intolerância alimentar: nesta condição, há manifestações que são individuais e talvez a mais frequente é em relação a lactose, requerendo testes de alergia alimentar e dessensibilização.
  3. Doença celíaca: caracterizada por inflamação da mucosa no intestino delgado e atrofia das suas vilosidades intestinais, comprometendo a absorção especialmente do glúten.
  4. Obstrução intestinal: é a mais séria, necessitando de atendimento de emergência. Nestes casos, as obstruções podem ser parciais ou totais, impedindo a passagem de alimentos e líquidos, caracterizada por contrações aumentadas que tentam forçar o ar, líquidos e sólidos através de um estreitamento do intestino. Apresentam som alto, agudo e característico, com inchaço abdominal, constipação, náuseas e vômitos, causado pelo acúmulo de alimentos, fluidos, gases e ácidos gástricos antes do local do bloqueio.

Quando o silêncio do intestino merece atenção médica

Há situações em que é normal que os intestinos estejam silenciosos:

  • Dormindo
  • Certos períodos do dia
  • No pós-cirúrgico de procedimento abdominal

Porém, há uma situação específica aonde a ausência completa de sons intestinais, que ocorre durante um ataque de dor abdominal severa, pode ser uma indicação de um evento intra-abdominal grave.

Esse caso requer atenção e tratamento de emergência, podendo até necessitar de procedimento cirúrgico.

Portanto, o conselho que posso lhe dar é manter a sua ecologia intestinal mais equilibrada possível. Com isso, você terá o máximo de proteção e eficiência do funcionamento intestinal.

Para isso:

  • Reduza o açúcar e alimentos processados da sua dieta.
  • Acrescente alimentos fermentados como: lácteos, iogurte, kéfir e creme azedo.
  • Inclua suplementos probióticos que estimulam o crescimento das “boas bactérias” do seu intestino.

Pronto! Agora você já sabe: não há motivos para ter vergonha desses barulhos. Eles são os sons naturais do seu organismo trabalhando!

Referências bibliográficas:

  • – International Foundation for Functional Gastrointestinal Disorders January 19, 2017
  • – Scientific American January 21, 2002
  • – Healthline April 12, 2017
Previous ArticleNext Article
Médico, Cirurgião Vascular especializado em medicina preventiva e alta performance. Possui vários artigos publicados em revistas médicas, além de 8 livros com temas relacionados à nutrição, medicina preventiva e esportiva. (CRM 47078)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER