Prevenção

Diagnósticos errados podem estar aumentando o número de pacientes com Alzheimer

Tendo em vista o grande número de estudos e pesquisas acerca do assunto, você já deve ter ouvido algumas vezes que a Doença de Alzheimer é mais letal do que se pensava, sendo hoje considerada a terceira maior causa de morte na América, perdendo apenas para a doença cardíaca e o câncer.

Mas, dentro deste aspecto, há alguns detalhes que devemos levar em conta, entre eles o fato de que talvez este dado não seja realmente o reflexo da realidade. A meu ver, muitos pacientes estão sendo diagnosticados erroneamente como portadores de Alzheimer, enquanto sofrem de demência causada por drogas químicas. Compreendo como a Doença de Alzheimer é terrível e também não estou questionando sua incidência, mas quero que você perceba uma chocante ironia. Com certeza, milhões de pacientes diagnosticados com Alzheimer, na verdade não têm a doença. Além disso, muitos pacientes que fazem parte deste grupo, talvez a maioria deles, pode ser retirado deste engano em poucos dias.

Há cerca de dois anos um estudo de mil autopsias revelou que mais de 30% dos pacientes diagnosticados com Doença de Alzheimer tinham sido mal diagnosticados. Isso não é um choque para os pesquisadores em Alzheimer, pois eles já sabem a verdade sobre esse assunto. Eles dizem que mais de 100 condições, como a simples deficiência de uma vitamina, por exemplo, podem mimetizar a Doença de Alzheimer.

Entre estas condições estão os remédios de balcão que quando usados por certo tempo causam um descontrole enorme. Dezenas de medicações podem mimetizar os sintomas de demência; alguns são óbvios, como os tranquilizantes, indutores do sono e antipsicóticos. Porém, medicações para a pressão, refluxo e incontinência podem fazer o mesmo. Estatinas são famosas por causarem confusão mental e até mesmo amnésia temporária. Quando se retiram essas medicações os sintomas somem em muitos casos. De acordo com a opinião de diversos médicos, que dizem terem tido pacientes com a clara história de demência, quando essas medicações eram interrompidas os pacientes apresentavam uma significativa melhora.

Essa é uma informação importante e deve ser sempre bem lembrada, devendo ser uma atitude básica para todos os pacientes com “diagnósticos” de Alzheimer. Infelizmente, isso passa despercebido na maioria dos casos e, talvez, muitas pessoas estejam sofrendo desnecessariamente.

[divider]

Referência Bibliográfica:

– Washington  post.com (New study ranks Alzheimer’s as third leading cause of death, after heart disease and cancer.)

Previous ArticleNext Article
Médico, Cirurgião Vascular especializado em medicina preventiva e alta performance. Possui vários artigos publicados em revistas médicas, além de 8 livros com temas relacionados à nutrição, medicina preventiva e esportiva. (CRM 47078)

2 Comments

  1. COMO NÃO EXISTE DIAGNÓSTICO CONCLUSIVO PARA O MAL DE ALZHEIMER O RISCO QUE SE CORRE É A CONCLUSÃO PRECIPITADA A QUE OS SINTOMAS DE DEMÊNCIA SENIL PODEM LEVAR, INDUZINDO O PACIENTE A UM TRATAMENTO INADEQUADO. A ALTERNATIVA DE TRATAMENTOS NATURAIS COMO O ÓLEO DE COCO, MESMO QUE NÃO TRAGA OS RESULTADOS ESPERADOS, PELO MENOS MAL NÃO FAZ. CONSIDERANDO TODOS OS BENEFÍCIOS QUE O ÓLEO PODE TRAZER A SAÚDE OS PACIENTES JÁ ESTÃO NO LUCRO.

  2. Muito esclarecedor. Ah se soubesse disso antes de meu Pai falecer e termos, a família e ele, sofrido por anos.
    Sempre desconfiava que tinha “alguma coisa errada” com ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER