A carne não é a vilã!

O artigo “Substância presente na carne eleva risco de doença”, publicado no portal Estadão.com.br, no dia 8 de abril deste ano, baseado no estudo “Intestinal microbiota metabolism of l-carnitine, a nutrient in red meat, promotes atherosclerosis”, traz a informação de que ingestão de carne é a responsável pelo aumento do risco cardiovascular pela ação da enzima TMAO. Porém, quero esclarecer aqui que as conclusões do estudo não foram totalmente consideradas. Antes de qualquer coisa, é importante entender o que realmente causa essa elevação enzimática.Vejamos. O consumo em excesso de carnitina – aminoácido essencial para metabolização das gorduras pela mitocôndria -, lecitina e colina – uma gordura comum da alimentação -, nutrientes encontrados comumente em produtos de origem animal tais como ovos, carnes, laticínios, peixes, frutos do mar e alimentos assados industrializados, bem como os multivitamínicos para crianças, pode causar um desequilíbrio na microflora intestinal devido à formação de bioprodutos, como a enzima TMAO, causadores de aterosclerose, tendo então um impacto direto e negativo no risco de doenças cardiovasculares. Portanto, não é a carne em si que gera o problema.

Um alerta: os jovens estão consumindo 26 kg de açúcar em bebidas, por ano! E isso não é um bom sinal.

Não só no Brasil, como no mundo todo, crianças e jovens estão trocando água e leite por bebidas açucaradas como refrigerantes e sucos industrializados. É melhor, então, ligar o sinal de alerta.Essa informação vem de um estudo da Faculdade de Saúde Pública da USP, da Faculdade de Medicina do ABC e do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas. Essa análise demonstrou que esse comportamento vem contribuindo para o aumento significativo de doenças como o diabetes tipo 2, doenças cardíacas e obesidade infantil.

Alteração no alimento cerebral pode auxiliar na melhora da atrofia

Para manter suas atividades normais, nosso cérebro precisa de muita energia. E, felizmente, ele é capaz de funcionar com mais de um tipo de fonte energética. E uma dessas fontes está no óleo de coco que traz em sua composição uma substância chamada corpo cetonico ou ketoacidos.Essa substância alimenta o nosso cérebro prevenindo a atrofia cerebral, além de restaurar e renovar os neurônios e a função do nervo, mesmo que a lesão já esteja instalada.

Se você está tomando vitamina D tenha a certeza de que também está ingerindo vitamina K2

Essa não é a primeira vez que falamos sobre a importância e os benefícios da vitamina D. Afinal, essa vitamina é um nutriente crucial para a nossa perfeita saúde.Sua melhor forma de obtenção é através da exposição direta ao sol ou através de uma câmara de bronzeamento segura. Entretanto, muitas pessoas estão tomando a vitamina D de forma oral, o que pode ser bem problemático. A ingestão desse nutriente só será realmente eficaz se também estiver ingerindo uma quantidade suficiente de vitamina K2.

Conheça o risco provocado pela deficiência de zinco

Recordo-me de que quando eu era pequeno perguntava à minha mãe por que é que eu tinha pontos brancos nas unhas. Muito provavelmente ela não sabia a resposta correta para aquilo, e também não parecia estar tão preocupada com isso, o que é algo comum, e me dizia que deveria ser por alguma mentira que eu tivesse contado.Por muitos anos eu acreditei nessa resposta. Mas, assim como Papai Noel e Coelho da Páscoa, esse também foi um mito de infância que começava a cair na minha adolescência.

Água alcalina: beber ou não beber? Eis a questão!

Muitas pessoas têm me questionado sobre a efetividade da água alcalina. A grande dúvida é se a sua utilização é uma boa prática ou não.Certamente a maioria de nós já sabe da importância da água para a manutenção da saúde, e sabe também o quanto ela é essencial para toda função orgânica.

Melhore a sua saúde e a sua longevidade com quatro superalimentos

Um dos princípios básicos para uma boa saúde é consumir uma alimentação integral baseada em alimentos nutritivos e evitar os processados. Além disso, você pode melhorar ainda mais a sua saúde e normalizar o seu peso reduzindo os refinados e retirando os grãos e o açúcar (principalmente a frutose) de sua dieta. E para que o resultado seja bem positivo, você deve contar também com os superalimentos.De acordo com o doutor Steven Pratt, que escreveu um livro sobre este assunto, o consumo dos superalimentos vai muito além da ideia de dieta. Na verdade, essa condição está mais ligada a um modo de vida.

É melhor evitar os carboidratos. Eles estão cheios de toxinas!

Além de gerar um excesso de calorias, outro grande problema dos grãos é o fato de estarem cheios de toxinas. Ao contrário das desenvolvidas pelos homens, as toxinas dos grãos são criadas pelas plantas como uma forma de defesa para que essas não sejam consumidas pelos mamíferos. Entre essas toxinas, a mais familiar é o glúten.Do latim glue, glúten significa cola e recebeu esse nome por conta de sua propriedade adesiva que dava liga o pão e outros panificios. O glúten pode ser encontrado no trigo, na cevada e no centeio.

Tangerina pode ajudar no combate da obesidade e de doença cardíaca

Particularmente, considero que há poucas coisas melhores do que uma tangerina. Elas são fáceis de transportar e descascar; são fáceis para comer e, acima de tudo, são super saborosas.Ao ler esse artigo, certamente você também vai querer uma. Então, desculpe-me por despertar tanto o desejo.  Você vai entender, pois vale muito à pena!

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER