Dr. Rondó

Médico, Cirurgião Vascular especializado em medicina preventiva e alta performance. Possui vários artigos publicados em revistas médicas, além de 8 livros com temas relacionados à nutrição, medicina preventiva e esportiva. (CRM 47078)

Olha aí o amendoim!

Boas notícias para os fãs do amendoim: novos estudos mostram que seu consumo regular não engorda e ainda reduz as taxas de triglicérides no sangue, ajudando a prevenir doenças cardiovasculares.Com concentração protéica semelhante à da soja e altos níveis de fibras e ácidos graxos monoinsaturados, ele também fornece nutrientes como magnésio, folato, vitamina E e cobre – indispensáveis ao bom funcionamento cardiovascular.

Maravilhoso azeite

Duas colheres de sopa de azeite de oliva cru ao dia não engordam e promovem uma revolução no organismo.Em apenas uma semana, já diminuem as taxas de oxidação do LDL (o mau colesterol) e aumenta a concentração de antioxidantes no sangue. Seu uso sistemático previne o câncer de cólon e combate a artrite reumatóide. E, aplicado à pele, o azeite ameniza os efeitos dos radicais livres, causadores do envelhecimento.

Pimenta é tudo de bom

Vistas com desconfiança por quem não aprecia sua picância, a pimenta hortícola é ótima aliada da saúde. Os árabes antigos e a medicina ayurvédica sempre a valorizaram. E com razão. Ricas em cálcio e vitaminas A e C, elas têm propriedades antioxidantes e antiinflamatórias. São consideradas cicatrizantes, antidiarréicas e adstrigentes.Ao contrário da pimenta-do-reino, não lesam o estômago e ainda combatem parasitas.

Dieta saudável precisa de gordura

Não é de hoje que as gorduras estão na mira dos especialistas em saúde, especialmente a saturada. Acreditava-se que induziam aumento de peso, doenças cardiovasculares e diabetes. Rea-bilitada por pesquisas que afirmam seu insignificante papel em eventos desse tipo, a gordura saturada chegou à glória quando, recentemente, o American Journal of Clinical Nutrition admitiu não ser possível uma nutrição adequada sem sua participação. Inclua gordura normalmente na alimentação. Prefira óleos vegetais como os de oliva extra-virgem, de coco ou de linhaça não refinado. Para frituras ocasionais, o mais indicado é usar gordura animal. Evite as hidrogenadas e os óleos poliinsaturados.Saturada de boas coisas

Chocolate: prazer e saúde em alta.

Esqueça que chocolate faz mal ao fígado, causa espinha e provoca alergias alimentares. Nada disso faz sentido se não há exagero no consumo. Longe de ser um vilão, o chocolate é rico em flavanóides – especialmente as procianidinas, que não são encontradas com tanta abundância em outros alimentos. Elas são antioxidantes poderosos, que diminuem a oxidação das gorduras e ajudam a preservar a qualidade de outros antioxidantes, como a vitamina E. Atuam ainda como antiinflamatórios, regulam o sistema imunológico e afinam o sangue, protegendo o sistema cardiovascular. Aproveite: o chocolate ajuda a viver mais e melhor.É gostoso e faz bem

A saúde das águas

De garrafa ou de torneira, a qualidade da água é fundamental para uma boa hidratação. Mas nem sempre é fácil escolher a melhor.A indústria de bebidas que mais cresce no mundo é a da água engarrafada, que pode custar mil vezes mais que a de torneira. E a venda aumenta continuamente, exigindo maior produção – em 2004, o consumo de água engarrafada no mundo aumentou cerca de 60%, com 160 bilhões de litros vendidos. Hoje, estima-se que 200 bilhões de litros de água engarrafada cheguem ao consumidor.

Café descafeinado, não!

Aumenta o mau colesterol, os ácidos graxos e as gorduras que se depositam nas artérias. Proteja seu coração: diga não!Sei de muitos atletas que, de olho na saúde, optam por café descafeinado. Mas não dispensam as chamadas “bebidas energéticas”, sendo que uma latinha de energético tem cafeína suficiente para causar o mesmo efeito de uma xícara de café comum. Pela experiência, portanto, eles já deviam saber que a cafeína não é lá uma vilã de respeito. Este estimulante pode, sim, elevar o ritmo cardíaco, a pressão arterial, os hormônios do estresse, o mau colesterol, causar palpitações, tremores, ansiedade e aumentar os riscos de artrite reumatóide. Mas só quando o consumo é excessivo.

Gordura de coco

Para cozinhar, não há nada melhor. É estável sob altas temperaturas, ajuda a manter o peso, diminui o colesterol e protege contra doenças cardiovasculares.Esqueça tudo o que você já ouviu ou leu de ruim sobre gorduras saturadas. O óleo de coco é campeão nessas gorduras mas tem ótimo desempenho na cozinha por ser pouco suscetível a alterações quando aquecido. Nem mesmo o óleo de oliva, monoinsaturado louvado como the best, resiste ao confronto. Saudável e saboroso, deve fazer parte da alimentação, sim, desde que não seja aquecido. Neste caso, produz o ácido oléico, que tem sido relacionado com aumento de risco de câncer de mama e doenças cardíacas. Os piores óleos para cozinhar são os polinsaturados, como os de milho, soja, girassol e canola, que apresentam as famigeradas gorduras trans geradas pelo processo de hidrogenação. Essas gorduras, está mais que provado, abrem espaço para doenças crônicas como câncer de mama e problemas cardiovasculares.

Um banho de água fria

Se você se exercita em piscina de água fria com o objetivo de emagrecer, está na hora de mudar. Atividades em água água morna são mais eficazes.A explicação é simples: após exercitar-se em água fria, você é induzido a ingerir mais calorias do que se tivesse se exercitado em água morna, e parte do que você perdeu é recuperado. É o que afirmam recentes pesquisas sobre o assunto. Se para os atletas de carteirinha os dados da pesquisa não são significativos, certamente são importantes para quem precisa perder peso, atletas ou não. Especialmente pessoas com problemas nas articulações ou mesmo de metabolismo.

A dieta certa para você

Tipo metabólico determina a alimentação que dá mais energia e saúde.Cerca de 1 h depois de se alimentarem, muitas pessoas que seguem uma dieta saudável sentem fome, desejo por doces, queda de energia, uma leve depressão, nervosismo, irritação ou raiva. Elas não conseguem entender porque isso acontece, principalmente as que já aboliram junk food. Pois saiba que você pode comer alimentos de alta qualidade em termos nutricionais e, mesmo assim, sentir-se indisposto e continuar a sofrer com diversos problemas de saúde. A resposta pode estar contida numa simples questão de proporções: a combinação entre as quantidades de proteínas, carboidratos e gorduras talvez não seja a ideal para você. Cada pessoa tem um tipo de metabolismo e, por isso, o que funciona para uns pode não ser o melhor para outros. Se você está interessado em otimizar sua saúde, pêso e energia, e ainda evitar o envelhecimento precoce, deve alimentar-se de acordo com as necessidades do seu tipo metabólico.

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER