Dieta

Até que ponto o consumo de Bacon é seguro?

Você já deve ter notado que o famoso bacon, um alimento admirado por muitos, é basicamente gordura. O que talvez você não saiba é que 50% dessa gordura é monoinsaturada, consistindo, principalmente, em ácido oléico (um tipo valioso encontrado no óleo de oliva). Ainda 3% dessa gordura é ácido palmítico (monoinsaturado com valiosas propriedades antimicrobianas) e, aproximadamente 40% é gordura saturada. Essa quantidade de gordura saturada pode preocupar as pessoas que têm verdadeira fobia por gordura, mas é preciso entender que ela é relativamente estável e não se rancidifica em condições normais de armazenamento e cozimento. É importante também ressaltar que os 10% restantes são compostos de óleos poliinsaturados, valiosos, porém instáveis.

A gordura do porco contém fosfatidilcolina, que tem propriedades antioxidantes superiores a da vitamina E. Essa pode ser uma das razões pelas quais a banha e a gordura do bacon são relativamente estáveis, com isso não se rancidificando pelos radicais livres.

Outro fator importante é que a gordura do bacon de porcos que são criados pastorando é repleta de vitamina D, ao contrário de porcos criados em sistemas cobertos e fechados que apresentam baixos níveis dessa vitamina.

Como você deve esperar, a gordura do bacon tem colesterol, mas apesar de toda a sua reputação negativa não há evidência consistente, e sim má interpretação, de que o colesterol cause doença cardíaca.

Apesar de alguns rótulos de bacon estarem livres de nitrito, na verdade, eles podem ter até o dobro do conteúdo de nitritos se comparados com bacon curado diretamente com sal de nitrito.

Portanto, se quer consumir bacon de forma segura e saudável opte sempre pelo produto originado de porcos criados em pasto e preparado através de métodos tradicionais.

 

Referências Bibliográficas:

–       McCutcheon JW.  Nitrosamines in bacon: a case study of balancing risks. Public Health Rep. 1984 Jul-Aug; 99 (4): 360-4.

–       Gray JI, Skrypec DJ et al.  Further factors influencing N-nitrosamine formation in bacon.  IARC Sci Publ, 1984.  (57): 301-9.

–       Walters CL, Edwards MW et al.  The effect of antioxidants on the production of volatile nitrosamines during the frying of bacon.Z Lebensm Unters Forsch. 1976, 162(4): 377-85.

–       Hord NG Tang Y, Bryan NS.   Food sources of nitrates and nitrites: the physiologic context for potential health benefits.   Am J Clin Nutr, 2009. 90 (1): 1-10.

–       Taubes, Gary.   Science, pseudoscience, nutritional epidemiology, and meat.  March 14, 2012.

Previous ArticleNext Article
Médico, Cirurgião Vascular especializado em medicina preventiva e alta performance. Possui vários artigos publicados em revistas médicas, além de 8 livros com temas relacionados à nutrição, medicina preventiva e esportiva. (CRM 47078)

1 Comment

Deixe uma resposta para José Luiz Pistelli Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER