Alimentação

Alteração no alimento cerebral pode auxiliar na melhora da atrofia

Para manter suas atividades normais, nosso cérebro precisa de muita energia. E, felizmente, ele é capaz de funcionar com mais de um tipo de fonte energética. E uma dessas fontes está no óleo de coco que traz em sua composição uma substância chamada corpo cetonico ou ketoacidos.

Essa substância alimenta o nosso cérebro prevenindo a atrofia cerebral, além de restaurar e renovar os neurônios e a função do nervo, mesmo que a lesão já esteja instalada.

Ao converter gordura em energia o nosso corpo produz o que chamamos de cetona. E uma fonte primária desses corpos cetonicos são os triglicérides de cadeia média (TCM) encontrados no óleo de coco. Ao todo, o óleo de coco contém 66% de TCM.

Os TCM são gorduras que não são processadas no seu corpo do mesmo modo que os triglicérides de cadeia longa (TCL).

Normalmente, uma gordura ingerida deve ser diluída com bile liberada da vesícula antes que possa ser degredada no seu sistema digestivo. Porém, os TCM vão direto para o fígado que converte naturalmente o óleo em cetonas, não precisando da bile. O fígado então libera imediatamente as cetonas na corrente sanguínea aonde é transportada para o cérebro para ser usada como combustível.

De acordo com a doutora NewPort, os benefícios dos corpos cetonicos podem também se estender a outras condições clínicas. Ainda de acordo com suas análises, o consumo dos corpos cetonicos é um tratamento em potencial para doença de Parkinson, doença de Huntington, esclerose múltipla, esclerose lateral amiotrófica (SLA ou doença de Gehrig), epilepsia resistente à medicação e diabetes tipo I e II, onde há resistência à insulina.

Os corpos cetonicos também podem ajudar o cérebro a se recuperar após a falta de oxigênio em recém nascidos, recuperar o coração após infarto agudo e eliminar tumores cancerígenos. Na verdade, as cetonas parecem ser a fonte alimentar preferida do cérebro de pacientes afetados com diabetes ou Alzheimer.

A doutora NewPort relatou ainda que na doença de Alzheimer os neurônios de certas áreas do cérebro são incapazes de aproveitar a glicose devido a resistência à insulina e morrem lentamente, um processo que parece acontecer uma década, ou mais, antes dos sintomas se tornarem aparentes. Se essas células tiverem acesso aos corpos cetonicos, elas podem potencialmente sobreviver e continuar funcionando.

Níveis terapêuticos de TCM têm sido estudados a 20 gramas por dia, o equivalente a quatro colheres de sopa, o que é indicado para o tratamento de doença neurológica degenerativa ou preventiva, segundo a doutora NewPort.

Lembre-se que as pessoas reagem de forma diferente ao óleo de coco, portanto a ideia é começar lentamente e elevar a dose até níveis terapêuticos, aos poucos. Aconselho, então, que você comece essa ingestão no café da manhã, pois o óleo de coco requer no mínimo três horas para ser convertido em cetonas e, então, chegar ao cérebro.

 

Referências bibliográficas

– Ketone bodies, potential therapeutic uses, RL Veech, B Chance, Y Kashiwaya, HA Lardy, GC Cahill, Jr., IUBMB Life, 2001, Vol. 51 No.4, 241-247

– Ketoacids? Good Medicine? George F. Cahill, Jr., Richard L. Veech, Transactions of the American Clinical and Climatological Association,Vol. 114, 2003.

– The therapaeutic implications of ketone bodies: the effects of ketone bodies in pathological conditions: ketosis, ketogenic diet, redox states, insulin resistance, and mitochondrial metabolism, Richard L. Veech, Prostaglandins, Leukotrienes and Essential Fatty Acids, 70 (2004) 309-319.

– Diminished glucose transport and phosphorylation in Alzheimer’s Disease determined by dynamic FDG-PET, M Piert, et.al., The Journal of Nuclear Medicine, Vol.37 No.2, February 1996, 201-208.

– Glucose metabolism in early onset versus late onset Alzheimer’s Disease: an SPM analysis of 120 patients,” EJ Kim, et. al., Brain, 2005,Vol. 128, 1790-1801.

– Cerebral glucose metabolism in Parkinson’s disease with and without dementia,” RF Peppard, et.al., Archives of Neurology, Vol. 49 No.12,December 1992.

– Cortical and subcortical glucose consumption measured by PET in patients with Huntington’s disease, Brain, October 1990, Vol 113, part 5, 1405-23.

– Reduced glucose metabolism in the frontal cortex and basal ganglia of multiple sclerosis patients with fatigue: a 18F-fluorodeoxyglucose positron emission tomography study, U Roelcke, et. al., Neurology, 1997, Vol. 48, Issue 6, 1566-1571.

– ALS-linked Cu/Zn-SOD mutation impairs cerebral synaptic glucose and glutamate transport and exacerbates ischemic brain injury, Z Guo, et. al., Journal of Cerebral Blood Flow Metabolism, March 2000, Vol. 20 No. 3, 463-8.

– Combinations of medium chain triglycerides and therapeutic agents for the treatment and prevention of Alzheimer’s disease and other diseases resulting from reduced neuronal metabolism, United States Patent 20080009467, Inventor Samuel T. Henderson, Accera, Inc., Broomfield,Colorado (Ketasyn).

– Nutrient analysis of coconut oil (vegetable), NDB No: 04047 –

– Lipids in (human) milk and the first steps in their digestion, M Hamosh, et. al., Pediatrics, 1985, Vol. 75, 146-150.

– Nutritional factors and serum lipid levels, EH Ahrens, American Journal of Medicine, 1957, vol. 23, 928 (used hydrogenated coconut oil).

– Trans fatty acids and coronary artery disease, NEJM, 1999, Vol. 340, 1994-1998.

– Effect of mixed fat formula feeding on serum cholesterol level in man, SA Hashim, American Journal of Clinical Nutrition, 1959, Vol. 7, 30-34.

– Modified-fat dietary management of the young male with coronary disease: a five-year report, JL Bierenbaum, JAMA, 1967, Vol. 202, 1119-1123.

– Cholesterol, coconuts and diet in Polynesian atolls-a natural experiment; the Pukapuka and Toklau island studies, IA Prior, American Journal of Clinical Nutrition, 1981, Vol. 34, 1552-1561.

– Changes in cerebral blood flow and carbohydrate metabolism during acute hyperketonemia, S.G. Hasselbalch, et.al, Am J Physiol, 1996,Vol. 270, E746-51.

– Effect of hyperketonemia and hyperlacticacidemia on symptoms, cognitive dysfunction, and counterregulatory hormone responses during hypogly­cemia in normal humans, T. Veneman, et. al., Diabetes 43:1311-7 (1994).

– D-b-Hydroxybutyrate protects neurons in models of Alzheimer’s and Parkinson’s disease, Y Kashiwaya, et. al. including RL Veech, PNAS, May 9, 2000, Vol. 97 No. 10, 5440-5444.

– High carbohydrate diets and Alzheimer’s disease, Samuel T. Henderson, Medical Hypotheses, 2004, Vol 62, 689-700 (Another article of interest).

– Effects of b-Hydroxybutyrate on cognition in memory-impaired adults, MA Reger, ST Henderson, et. al., Neurobiology of Aging, 2004,Vol. 25, 311-314.

– Breastfeeding, infant formula supplementation, and Autistic Disorder: the results of a parent survey, ST Schultz, et. al., International Breastfeeding Journal, 2006, Vol. 1 No. 16.

– Ketones: Metabolism’s Ugly Duckling,  TB VanItallie, TH Nufert, Nutrition Reviews, Vol 61, No 10, 327-341.

– Fuel Metabolism in Starvation, GF Cahill, Jr., Annual Reviews in Nutrition, 2006, 26:1-22.

– Ketone Bodies as a Therapeutic for Alzheimer’s Disease, ST Henderson, Journal of the American Society for Experimental NeuroTherapeutics, Vol 5, 470-480, July 2008.

Previous ArticleNext Article
Médico, Cirurgião Vascular especializado em medicina preventiva e alta performance. Possui vários artigos publicados em revistas médicas, além de 8 livros com temas relacionados à nutrição, medicina preventiva e esportiva. (CRM 47078)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER