Saúde

Alguns Fatos e Ficção sobre Protetor Solar

Nesta época do ano fica difícil separar os fatos da ficção, pois você recebe muitas informações e desinformações sobre o sol, sobre protetor solar, o câncer de pele e os danos que o sol pode gerar.

É por isso que quero lhes mostrar o que você precisa saber para obter o máximo do sol e se manter protegido também.

Nós temos ouvido há mais de 30 anos sermões incessantes de fontes “oficiais” e “peritos” sobre cobrir os nossos corpos com filtro solar antes de qualquer exposição ao sol, senão as consequências serão terríveis.

Apesar de não haver dúvida de que a exposição ao sol pode contribuir para os cânceres de pele, como os carcinomas basocelulares e de células escamosas, o melanoma e as “queratoses actínicas” pré-cancerosas, há pontos que precisam ser comentados.

  • Com uma dieta adequada, e eventualmente uma suplementação específica, você pode reduzir drasticamente o risco de câncer de pele.
  • Não se expor o suficiente ao sol, ou pelo uso de filtro solar, aumentam muito o risco de deficiência de vitamina D.
  • Os filtros solares podem ser tóxicos e alguns podem causar diversos problemas de saúde.

O que você precisa saber sobre protetor solar e o hábito de tomar sol

1 – Uma exposição segura ao sol diariamente é, certamente, uma das melhores atitudes que você pode ter para a sua saúde. É assim que o seu corpo produz vitamina D, que é altamente eficiente em protegê-lo contra o câncer (incluindo o melanoma), além de melhorar o seu sistema cardiovascular, renal e imunológico, garantindo ossos e dentes saudáveis, força muscular e muito mais. Obviamente, a exposição excessiva ao sol pode gerar queimadura solar, prejudicando a pele. Procure usar um protetor adequado no rosto, pois é uma área do seu corpo cuja pele é fina, mais sujeita ao foto envelhecimento e rugas prematuras. As outras áreas, portanto, são as que você deve expor por um período ao sol para captar essa vitamina D.

2 – Nos dias iniciais de exposição ao sol, se exponha por tempo limitado permitindo que as células que produzem melanina (melanócitos) tenham condição de aumentar a capacidade de produzir pigmentação protetora da pele e que lhe permita o bronzeado. Vá aumentando gradativamente a sua exposição ao sol. A referência é a pele tornar-se rósea, aí então, é momento de passar um protetor solar. Confira mais sobre bronzeamento seguro e saudável clicando aqui.

3 – O uso de protetor solar normalmente encoraja as pessoas a permanecerem ao sol por mais tempo, aumentando os riscos de danos a pele. Lembre-se que os filtros solares não conseguem bloquear tudo.

4 – O grande problema dos protetores solares são os agentes químicos da sua composição, que muitas vezes nunca foram estudados por seus efeitos a longo prazo sobre a saúde humana, além de promoverem a deficiência de vitamina D. Quase todos os produtos contém dihidroxiacetona (DHA), uma substância usada para intensificar o bronzeado e que os fabricantes alegam ser uma solução simples de açúcar em carboidratos, mas alguns toxicologistas discordam. Segundo o Programa Nacional de Toxicologia, seus riscos não são claros, podendo causar lesões no DNA, o que contribuiria para o envelhecimento precoce e até o câncer de pele. Outra substância, o ácido para-aminobenzóico (PABA) foi usado em produtos tópicos para filtrar a radiação ultravioleta B (UVB). Mas já que o PABA foi associado com irritação tópica e alergias, os fabricantes alteraram o “simples” PABA, convertendo-o em moléculas chamadas de “ésteres PABA” para torná-los menos alergênicos. Entretanto, desde então evidências surgiram em estudos que ligam o PABA a danos genéticos aumentados quando usado em filtro solar. Confira um texto falando sobre esses malefícios clicando aqui.

5 – Todos os protetores solares são baseados em fator de proteção do sol (SPF) de pelo menos 15 ou mais, que dá uma indicação de quanto tempo alguém pode ficar exposto ao sol sem se queimar. Um SPF de 15, por exemplo, significa que você pode ficar no sol 15 vezes mais do tempo que você levaria para se queimar sem o filtro solar e protege você de 93 por cento da radiação UVB. Se você usar um filtro solar com um SPF de 30, a sua proteção da radiação UVB aumenta para 97 por cento, mas te permite a ficar no sol até 30 vezes mais tempo do que você levaria para se queimar sem o filtro solar. Então, isto significa que muitas pessoas se sentem “seguras” ficando muito mais tempo no sol do que elas ficariam sem o filtro solar.

6 – Use um protetor solar que lhe proteja contra UVA e UVB, pois é bom lembrar que o SPF protege apenas contra os raios UVB, que são os raios dentro do espectro ultravioleta que permitem que seu corpo produza vitamina D em sua pele. Mas os raios mais perigosos, em termos de causar danos à pele e câncer, são os raios UVA.

Fique atento aos fatos, evite as ficções sobre o filtro solar e aproveite o verão com mais saúde!

Referências bibliográficas:

  • National Toxicology Program, Dihydroxyacetone
  • British Journal of Dermatology September 2009; 161(3): 630-634
  • Medical Tribune, April 18, 1991;4
  • American Academy of Dermatology. (2016). Aad.org. Retrieved 30 May 2016
  • Daily Mail February 4, 2011
  • Annals of Epidemiology, January 1993;3(1):99-102.
  • The Lancet February 28, 2004: 363(9410); 728-730
Previous ArticleNext Article
Médico, Cirurgião Vascular especializado em medicina preventiva e alta performance. Possui vários artigos publicados em revistas médicas, além de 8 livros com temas relacionados à nutrição, medicina preventiva e esportiva. (CRM 47078)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER